• 28 nov 2009
  • Postado por Tiago

Dona Rosivalda Rodrigues Mendonça, mãe de Rafael, hoje prefere se calar. Ainda muito abalada com a tragédia, ela não conversou com a equipe do DIARINHO, mas surpreendeu ao enviar uma carta onde relata toda a sua revolta com a demora na resolução do processo.

“Seis anos de ausência e saudade… Seis anos de impunidade e descaso da justiça. A justiça é cega, dizem… Literalmente cega, a ponto de, em seis anos, não enxergar a culpa evidente de um assassino: o policial assassino que acabou com a vida de um jovem cidadão e que continua livre, tão livre quanto qualquer cidadão brasileiro cumpridor dos seus deveres e que nada deve à sociedade.

Até quando a cegueira da justiça vai impedir a punição de assassinos como este? Haverá em Itajaí algum “coco roxo” que, independente da “cega justiça”, colocará um ponto final nesta vergonhosa situação? Apesar da justiça humana ser cega, ainda acredito que a de Deus não é. O assassino de Rafael será punido, sim! Mesmo que seja no inferno”.

Assinado: Rosivalda Rodrigues Mendonça

  •  

Uma Resposta to “A dor de uma mãe”

  1. jader Diz:

    A Dona Rosivalda, mãe Do rafael morto por um militar, sei que a dor agora é muita, mais as dores do que calam e de quem matou vai ser pior, hoje talvez até acham gracinha disto, mais na hoar da morte ah! sei porque já assiti a morte de um desses, fiquem com Deus

Deixe uma Resposta