• Postado por Tiago

Briga entre bandidos foi o que mais matou gente

Dos 123 assassinatos que rolaram na região de Itajaí e na grande Floripa no primeiro semestre deste ano, pelo menos 53 foram por acerto de contas entre traficantes. As cidades que lideram as estatísticas são Itajaí e Camboriú, com 15 acertos de contas cada uma. Depois vêm os municípios da Grande Floripa (17), Balneário Camboriú (4), Navegantes (3) e Itapema e Penha com uma morte cada.

Se for fazer a relação entre quantidade de moradores e número de assassinatos, Camboriú leva o troféu de mais perigoso da região, pois tem apenas cerca de 58 mil habitantes enquanto Itajaí tem 170 mil. Camboriú também apresentou dois dos três crimes sexuais registrados até 23 de junho passado. Na capital da pedra, também teve uma morte por assalto e duas mortes por motivos passionais, ou seja, coisa de corno. Teve também uma morte por briga e quatro por motivo desconhecido.

Os mais chocantes

Em Itajaí, a única morte por assalto foi a do conhecido empresário Aldo Fronza Filho, 35 anos. Ele morreu ao tentar reagir a um assalto, quando tava dando mole com a namorada na praia dos Amores, de madrugada. O crime rolou no dia oito de maio.

O único crime sexual que rolou em Floripa ainda não tá 100% explicado. Em 24 de maio, Vanessa Pereira Ferreira, 22 anos, foi encontrada morta no Morro do Quilombo. O matador disse que tava numa festa, quando Vanessa apareceu pra vender uma tevê véia. Adilson teria ficado interessado e foi com ela até sua casa. Ela teria dito que a tevê tava escondida no mato. O assassino conta que Vanessa tirou a roupa e começou a gritar por socorro, fingindo que tava sendo estuprada. Por isso, alega, estrangulou a moça. Adilson Antunes, 22, se entregou, mas ninguém engoliu sua história.

Em Itajaí, foi onde mais teve morte em família. No dia 10 de abril, Elvira Vier, 38 anos, e Pedro Vier, 25, foram mortos a pedradas no Brilhante 2 por Antônio de Oliveira, 53, que era o ex da vítima. Em 13 de maio, Dalmiro de Souza, 48 anos, foi espancado pela mulher Rita Cristina Canuto Rodrigues, 23. A briga do casal rolou na Canhanbuda, onde Rita bateu no cara com um lampião e um pedaço de madeira. Em 16 de junho, Luciano de Lucas, 29, levou um tiro do irmão Alessandro J. Silva, 24, no morro do Bem-te-vi, no bairro Fazenda.

  •  

Deixe uma Resposta