• Postado por Tiago

Maria de Lourdes até agora não sabe onde foi parar sua carteira

A vida da recicladora Maria de Lourdes da Silva, 35 anos, tá do avesso desde sábado. A itajaiense teve a sua bizinha apreendida pela polícia Militar e até agora tá sem entender o motivo do recolhimento da motoca. Até a carteira de motorista de Maria de Lourdes foi guentada. Ela garante que tava com todos os documentos em dia.

No sábado, oito policiais apareceram na casa da recicladora, que fica na avenida Nilo Bittencourt, no Cidade Nova, pra averiguar uma denúncia de tráfico. O genro dela foi preso na rua e, pra não ir pra delegacia sem avisar a família, acabou dizendo que havia droga na baia de Maria de Lourdes. A PM teria revirado toda a casa e não encontrou nada. Depois disso o rapaz foi levado pra delegacia.

Com medo que o genro levasse uns tabefes, Maria de Lourdes e a filha pegaram a Biz e seguiram a baratinha da PM até a 2ª depê, que fica na Barra do Rio. Quando as duas chegaram, um policial as abordou e anunciou que ia lascar uma multa na recicladora porque ela pilotova com a viseira do capacete levantada.

O policial teria dito ainda que, pra moto não ser guinchada, ela tinha que chamar alguém com habilitação, pois a sua carteira de motorista ia ser apreendida. Maria de Lourdes pediu socorro pro vizinho, mas quando percebeu a PM já tinha chamado o guincho pra carregar a motoquinha. A recicladora jura que a carteira e os documentos da moto tão certinhos.

Durante o bafafá, dois agentes da Codetran teriam aparecido por lá. Os guardinhas teriam só cochichado com os PMs, olhado a motoca e foram embora. ?Nem fizeram nada quando eu disse chorando que precisava da moto pra trabalhar, já que meu serviço é na Itaipava?, reclama a mulher.

Pra piorar a situação, Maria de Lourdes tá desesperada atrás da sua carteira de motorista. Ela diz que ninguém sabe onde foi parar a sua habilitação. A coitada perdeu a segunda-feira de trampo pra resolver o perrengue. Foi em vão. ?Na Codetran ninguém sabia de nada e na polícia Militar pediram pra eu voltar à tarde?, conta.

O que dizem os bagrões

José Alvercino Ferreira, coordenador da Codetran, já tava sabendo do caso e disse que os guardinhas só apoiaram a PM no chamado do guincho. ?Nenhuma multa ou apreensão de carteira foi feita pela Codetran?, garante.

O capitão Jonathan Cardoso Régis, da corregedoria da PM peixeira, falou que não tava de trampo no sábado e, por isso, não ficou sabendo da história. O capitão disse que se Maria de Lourdes se sentiu injustiçada pelo comportamento dos policiais, a orientação é procurar o batalhão da PM e formalizar a denúncia. Somente depois da denúncia é que vão investigar o caso.

  •  

Uma Resposta to “Acusa PM de abuso de otoridade”

  1. emasa Diz:

    nao multaram nem apreenderam nada, porque guincho então?
    Ta mal contada a historia zeh!

Deixe uma Resposta