• Postado por Tiago

O juiz Alexandre Moraes Rosa, da 4ª vara criminal da capital, mandou soltar Thiago Silva Machado, 25 anos. O cara foi preso dia 26 de junho acusado de pedofilia, após ser denunciado pelo pai dum jovem de 16 anos. A repercussão da prisão de Thiago foi tão grande que ele foi banido do grupo de escoteiros que liderava.

O advogado Apóstolo Paschoal Ptisica explica que o juiz acatou o pedido de arquivamento de inquérito por falta de provas que caracterizassem crime de pedofilia. A falta de provas foi tanta que Thiago voltou pra casa com a ficha limpa.

“Nossa defesa buscou descaracterizar o crime de pedofilia”, disse o advogado. O principal argumento da defesa é que o jovem tem 16 anos e sabia o que tava fazendo.

Outro argumento foi o incentivo do pai em fazer a denúncia. “Se a conversa no MSN tivesse sido com uma mulher, talvez nada disso tivesse acontecido”, pondera o advogado. No entendimento do advogado, o pai do garoto só fez a denúcia porque o filho tava falando com um homem. “Ele (o pai da vítima) fez a denúncia e encaminhou à polícia como se fosse pedofilia”, comentou o advogado. Ele garante que as supostas outras vítimas de Thiago nunca apareceram.

No dia da prisão, o computador de Thiago foi apreendido. Nele foram encontradas imagens do guri e de outras crianças e conversas quentes no MSN. Durante o tempo em que esteve enjaulado, Thiago confessou que gosta de manter relacionamentos com homens e mulheres, mas nunca teve nenhum tipo de intimidade com alunos do grupo de escoteiros.

Ele sempre se disse inocente e garantiu por diversas vezes que era o guri que o procurava pra furunfar. Mesmo assim, garante que eles nunca saíram do virtual pro mundo real.

  •  

Deixe uma Resposta