• Postado por Tiago

Abre---Pavan

Pavan foi quem colocou Vanderléia na SDR

O mistério sobre o paradeiro da advogada Vanderléia Batista, denunciada por advocacia administrativa na operação Transparência, da polícia Federal (PF), está solucionado e a muié voltará ao trabalho. A advogada, que é funcionária pública de Balneário Camboriú, não havia se reapresentado ao trampo após as denúncias, e só deu as caras no dia 23 de dezembro do ano passado, de forma bem discreta. Mesmo assim, ela corre o risco de ficar desempregada.

Segundo o departamento de recursos humanos da prefa, Vanderléia é funcionária pública desde 1987, e foi contratada como professora. Durante os mais de 20 anos de trabalho, a muié passou por diversos departamentos, sendo inclusive cedida durante anos pra 29ª delegacia da polícia Civil, com os salários pagos pela prefa.

Em 2007, a pedido do vice-governador Leonel Pavan (PSDB), a advogada foi cedida à secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR) de Itajaí, onde ficou até 30 de novembro do ano passado, quando pediu pra ser exonerada, pouco antes das denúncias da PF. Antes disso, em 28 de agosto, o prefeito Edson Periquito (PMDB) já havia cancelado o ?empréstimo? da advogada, pedindo seu retorno imediato pra prefeitura. Vanderléia ignorou as notificações enviadas e continuou trampando na SDR numa boa.

Passagem por Navega

Como funcionária cedida, Vanderléia deveria ter se apresentado em Balneário assim que se desligou da função na SDR, mas ao contrário disso, ela embarcou no ferry-bote e arrumou uma boquinha na prefeitura de Navegantes. A advogada iria assumir a função de assessora jurídica em janeiro, no lugar de outra guria que estava se licenciando do cargo.

De acordo com um bagrão dengo-dengo, ela chegou a acompanhar o andamento dos trabalhos em Navega na primeira semana de dezembro, mas foi mandada pra rua antes mesmo de assumir o cargo, assim que o prefeito Roberto Carlos (PSDB) ficou sabendo dos rolos em que ela estava metida.

Sumida de novo?

Segundo um abobrão do departamento de gestão pessoal da prefa de Balneário, um processo administrativo será aberto assim que ela reaparecer formalmente pra trabalhar, o que já deveria ter rolado no dia 5 deste mês. ?Se ela não apresentar uma justificativa plausível para o abandono de emprego assim que retornar, existe uma grande chance de ela ser demitida?, disse o cara, que não se identificou.

O DIARINHO tentou ligar diversas vezes para Vanderléia, até que finalmente ela atendeu o telefone. A advogada disse que agradece o espaço oferecido pelo jornal pra sisplicar, mas prefere não falar com ninguém da imprensa agora. Ela falou que vai apresentar sua defesa na dona justa.

  •  

Deixe uma Resposta