• Postado por Tiago

Depois de sentir na pele a facada dos altos preços cobrados em estacionamentos de locais privados e também de ver as inúmeras matérias publicadas no DIARINHO a respeito do caso, o advogado Eli Ramos tomou uma decisão: procurar o Ministério Público Estadual de Itajaí e Balneário Camboriú, formalizar a denúncia de abuso e pedir providências. O pedincho pros promotores rolou no início do mês e por enquanto não foi analisado.

Eli, que há 20 anos atua como advogado, disse que além do abuso de preços praticados na época de alta temporada, principalmente por shópis, outro problema é a falta de emissão de notas fiscais nos estacionamentos. Pra ele isso é sonegação. “Nenhum deles fornece de forma espontânea a nota fiscal. A não ser que você peça e, mesmo assim, alguns entregam recibos”, denuncia.

O DIARINHO entrou em contato com as curadorias da moralidade administrativa das promotorias de Itajaí e Balneário, pra onde o advogado Eli encaminhou a denúncia. Na city peixeira, quem recebeu o caso foi a dotora Darci Blatt. Em Balneário foi o dotô Milani Bento. Nas duas comarcas, a denúncia foi repassada pras promotorias de crimes contra a ordem tributária, onde realmente se encaixa o reclamo do advogado, mas ainda não foram analisadas.

Reclamações

Em dezembro do ano passado, leitores procuraram o DIARINHO pra denunciar o abuso no chiquetoso Balneário Camboriú Shopping. O valor do estacionamento pra um período de quatro horas subiu de uma semana pra outra praticamente o dobro. Passou de R$ 4,50 pra R$8. A facada revoltou muita gente e deixou a Procon das duas cidades de zóio aberto.

  •  

Deixe uma Resposta