• Postado por Tiago

O dotô Cláudio Gastão da Rosa Filho ingressou na justa federal com o pedido dos desbloqueios dos bens do empresário Francisco Carlos Ramos,  o Chico Ramos, um dos principais acionistas da Agrenco, de São Paulo, e de outras quatro pessoas envolvidas no esquema investigado pela Operação Influenza, da Polícia Federal. O pedincho foi apresentado semana passada à juíza Ana Kramer, da 1ª Vara Federal Criminal de Florianópolis.

Considerado um dos homens mais poderosos do agronegócio brasileiro, Chico tem uma fortuna em imóveis e carros importados.  Entre os veículos, avaliados em mais de R$ 1 milhão, estão dois BMW.  Os  carros estão com o empresário, mas ele não pode vendê-los. Terrenos e outros imóveis de sua propriedade, como um apartamento de frente para o mar em Balneário Camboriú, também estão indisponíveis desde 2008. Há cerca de três meses, a juíza Ana Kramer rejeitou a denúncia contra Chico apresentada pelo Ministério Público Federal. A promotoria recorreu da decisão.

A Operação Influenza investigou 24 pessoas, a maioria da Santa&Bela, suspeitas de lavagem de dinheiro. O porto de Itajaí seria o centro de operação da quadrilha. Os envolvidos são políticos, empresários, funcionários da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola (Cidasc), da Receita Federal, um jornalista e um delegado aposentado da PF.

  •  

Deixe uma Resposta