• Postado por Tiago

P---INTERNA-POLÍCIA-CINCO-20090813055036304-1 policia2-1

Cigarros tavam vindo do paraguai pra atender a clientela da região

Bem diz o ditado: ?em casa de ferreiro, o espeto é de pau?. E foi justamente isso que a Polícia Civil de Itajaí flagrou no início da tarde de ontem. Os tiras bateram no bar do Pinheiro e descobriram que tava rolando a maior sacanagem no local. José Pinheiro Neto, 46 anos, que é agente de saúde, tava vendendo cigarro contrabandeado do Paraguai pra clientela. O cara, que deveria prezar pela saúde da galera, tava oferecendo porcaria pro povão. Há meses que os moradores da avenida Nilson Edson dos Santos, no Rio Bonito, no bairro São Vicente, tão putos com o boteco do Pinheiro. O comerciante coloca a sonzeira até de madrugada e não deixa os vizinhos dormirem. Até banda José já teria levado pra tocar no botequim. Inconformados com a baderna, os vizinhos denunciaram a sacanagem à polícia.

Ontem, por volta das 15h, José e sua esposa, Magnólia Pinheiro Andrade, 37, receberam o teje preso. Os tiras bateram na birosca e guentaram dois pássaros silvestres, 200 maços de cigarros fajutos, uma máquina de música, outra de caça-níquel e uma montoeira de bloquinhos de jogo do bicho.

O casal e abagulhada apreendida foram levados pra 2ª depê, onde a puliçada ficou dicara com o fato de José ser agente do Ministério da Saúde, e vender cigarro fajuto em seu boteco. Se o cigarro nos trinques já faz mal pacas aos fumantes, imagina o contrabandeado.

O delegado Carlos Roberto Monza fichou o casal em flagrante por jogo de azar, contrabando e violação de direitos autorais – já que o boteco não pagava a taxa pro Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad), pra rodar na vitrola uma sonzeira da hora.

Mais trecos fajutos

A Central de Operações Policiais (COP) de Itajaí também guentou trecos contrabandeados pelaí. Ontem, quase dois mil dvds e cds de filmes e jogos foram tirados de circulação na avenida Ministro Luiz Galotti, no Promorar. Daiane Velasco Camargo e Ivan Presotto foram presos por violação de direitos autorais e levados pra sisplicar na depê.

  •  

Deixe uma Resposta