• Postado por Tiago

Mateus Back Peruck e Juvenal Pedri Filho, acadêmicos do 3º período de fisioterapia da Univali

Diz uma inspirada música do compositor Walter Franco que “tudo é uma questão de manter a mente quieta, a espinha ereta e o coração tranqüilo”. No caso da “espinha”, a receita parece ser particularmente indicada no cuidado com o peso da mochila das crianças exigido pelo sistema de ensino. Mas antes de falar sobre isso, vamos aprender um pouco sobre o nosso corpo, especificamente a coluna. A coluna vertebral é composta por 24 vértebras, que são subdivididas em 7 vértebras cervicais, 12 torácicas e 5 lombares. A coluna não é realmente reta, ao contrário do que muitos pensam. Em vista lateral, podemos observar curvas opostas nos 3 segmentos descritos anteriormente: na cervical temos a lordose, bem como na porção lombar, e entre elas, na coluna torácica, temos a cifose. Estas curvas são normais e muito importantes para uma coluna “saudável”. O uso incorreto da coluna pela sobrecarga pode alterar esta condição das curvas fisiológicas, causando dor e muito desconforto para a pessoa, e é neste momento que começam os problemas: a criança vai à escola carregando livros pesados de um único lado, sentam-se com postura incorreta em carteira inadequada ou estiram-se de qualquer forma no sofá para ver televisão.Talvez pela corrida do dia a dia dos pais, não é dado à devida atenção para este problema tão sério que atinge as crianças com muita freqüência, necessitando intervenção médica e fisioterápica intensa e imediata.Essa questão tem que ser resolvida pelos alunos, pais e escola. Cada um fazendo um pouco, o peso da mochila pode diminuir, e muito. Aos pais cabe a fiscalização. Verificar as mochilas para observar se seu filho está levando utensílios inúteis e discutir com a escola maneiras para a mochila fique mais leve. O método de ensino adotado pela instituição, que usam livros, ao invés de apostilas, tornaria o peso excessivo coisa do passado, facilitando muito a vida dos estudantes, ou ainda se fosse instituído no colégio armários individuais, nos quais os alunos deixariam seus materiais durante a semana, levando para casa apenas o livro específico necessário para estudar, ou fazer lição. Medidas como estas tão simples podem amenizar e muito dificuldades graves no futuro. A mochila carregada nas costas deve ser do tamanho da criança para ajustar-se bem à coluna e sem folga. A mochila solta pode puxar o corpo para trás e forçar os músculos, além de fazer a criança curvar os ombros para facilitar o equilíbrio. O fundo da mochila deve ficar apoiado na curva lombar da coluna. Nunca deve ficar a mais de 10 cm abaixo da região da cintura da criança.Pela não atenção e cuidado dos pais e escola, em alguns casos a condição da coluna já está comprometida, necessitando que outros tratamentos entrem em vigor, ou o comprometimento é tamanho que é necessária intervenção cirúrgica. Como trata-se de crianças em desenvolvimento, é necessário prestar uma atenção especial, pois alterações na coluna podem trazer conseqüências graves para todo o corpo, pela compensação causada pela posição incorreta adotada. Não esqueça que cuidando da mochila do seu filho você estará garantindo a saúde dele hoje e no futuro. O peso que muitas crianças carregam trazem patologias que com o passar dos anos tornam-se difíceis de tratar. Adotando regras simples podemos evitar um grave problema na fase adulta.

  •  

Deixe uma Resposta