• Postado por Tiago

INTERNA_12_base_colegio-nilton-kucker---foto-felipe-VT-00

O berreiro tá prometido pra acontecer na frente do Nilton Kucker

Alunos e alguns profes do colégio estadual Nilton Kucker, que fica na Vila Operária, em Itajaí, fazem hoje um berreiro na frente da escola. Eles vão protestar por estarem desde a semana passada sem três professores e pelo fato da gerência regional de educação (Gerei) não contratar substitutos. O fuzuê tá prometido pras 9h. A cabreirice dos alunos é porque, além de ficarem sem as aulas e serem mandados mais cedo pra casa praticamente todos os dias, foram informados de que terão que repor o conteúdo perdido durante alguns sábados e até domingos. ?Que culpa nós temos se não tem professor? Muitos, assim como eu, estudam e trabalham. Vou ter que passar o dia de folga no colégio por causa dessa bagunça. Não é justo!?, reclama A.C.K., 17 anos, que promete estar hoje pela manhã segurando um dos cartazes da manifestação.

José Henrique de Souza, diretor do Nilton Kucker, admitiu o problema e informou que a falta dos professores atinge os três períodos de aula no colégio. Ele reconhece o prejuízo aos estudantes, mas diz que nada pode fazer, já que o impasse está na contratação dos profissionais, que é feita pelo governo do estado e não pela direção da escola.

GEREI vai bizolhar

Maria Alice Pereira, chefona da Gerei, alegou que a contratação de professores substitutos só é possível até o dia oito de cada mês, por conta do recolhimento do INSS. Se a contratação rolar depois desse prazo, uma multa é cobrada. O governo do estado teria sido proibido pelo tribunal de contas de gastar dindim com o pagamento dessa multa.

Maria Alice ficou de dar uma bizolhada na situação pra ver que solução pode ser colocada em prática no Nilton Kucker pra não mais prejudicar a alunada.

  •  

Deixe uma Resposta