• 19 maio 2009
  • Postado por Tiago

“L I” epidemiologista,eleitores caras de pau, avanço na poupança, vingança constitucional…

Pingo – O presidente “L I” minimizou o alcance da gripe suína e disse, em seu programa de rádio, que a epidemia é grave, mas não do tamanho “que se vendeu”. Completou a sua conclusão com a frase: “Eu acho que essa gripe não é do tamanho que parecia que ia ser, porque se vendeu uma gripe que já tinha tomado conta do mundo inteiro. Eu penso que ela existe, é grave, mas aqui no Brasil nós estamos cuidando para evitar que se alastre para outras pessoas”.

Respingo – Naturalmente, sem ter o mesmo cabedal de “conhecimentos” na área da epidemiologia revelados no comentário presidencial, a Organização Mundial de Saúde evita dizer se a gripe é mesmo suave, como tem se mostrado na maioria dos casos, ou se é um vírus que pode causar danos e mortes. “Ainda não temos isso claro. Ser severo não significa apenas alto número de mortes. O que é verdade é que o que é severo para um político é diferente do que é severo para um epidemiologista”, declarou Keiji Fukuda, vice-diretor da OMS.

Pingo – Entrevistado pela Rádio Eldorado sobre a reforma política, o deputado Ibsen Pinheiro (PMDB-RS) discutiu com o jornalista Daniel Piza ao defender o voto por lista partidária, independentemente da adoção do sistema distrital misto. Em resposta à ponderação da necessidade do debate, pela sociedade, da nova concepção o deputado revidou: “A melhor representação da sociedade não é um microfone de rádio, mas o Congresso Nacional”. Não satisfeito, ao responder sobre corrupção o deputado declarou: “o Congresso tem os defeitos do povo brasileiro” e “desvios de conduta são encontrados até dentro de convento”.

Respingo – Viu no que dá votar por simpatia, por protesto ou por interesse, agora estamos todos nós rotulados como deficientes morais, marginais, foragidos da justiça, “caras de pau” e tudo isso sem ter direito a plano de saúde vitalício, à mesada para contratar parentes e nem mesmo passagem para o “ferry boat” ou para o “coletivo”, que dirá para um passeio aéreo.

Pingo – O governo apresentou proposta, que dependerá de aprovação pelo Congresso, pela qual os rendimentos da poupança superiores a R$ 50.000, atualmente isentos, passarão a pagar Imposto de Renda a partir de 20l0. A tributação vai variar conforme a Selic – a taxa básica de juros da economia – e a renda do poupador.

Respingo – Adeus caderneta de poupança simplesinha, que qualquer criança entendia, foi a saudação que o comentarista econômico Celso Ming publicou no Estadão. As regras simples que regiam a instituição foram complicadas com a imposição de variáveis que ficarão na dependência de várias outras coisas que não só o tamanho do depósito e das alterações da Selic. Para que se possa avaliar a complicação, o governo publicou às pressas um ABC para explicar as mudanças introduzidas.

Pingo – Sob a inspiração do Ministro da Defesa, Nelson Jobim, a Infraero, empresa subordinada àquele Ministério, deu início a um “enxugamento” nos seus quadros funcionais que prevê 98 demissões até o mês de junho. Desse total já foram efetuadas 25 demissões, todas de apadrinhados políticos entre os quais um irmão e a cunhada do líder do governo no Senado, Romero Jucá, que em represália, pretende apresentar uma emenda constitucional para que somente militares ocupem o cargo de ministro da Defesa.

Respingo – O Senador tem o direito de apresentar a PEC (Projeto de Emenda Constitucional) que bem entender. Entretanto, neste caso fica evidente que os parlamentares, tanto no Senado quanto na Câmara, “estão pouco se lixando” para o país, os estados, a Constituição, para tudo, enfim. Veja-se: o descaso do Senador para com a Constituição Federal é tamanho, que pretende usá-la para vingar-se de um correligionário que ousou exonerar um apaniguado em favor de uma reforma administrativa e visando aprimorar um serviço público.

Pingo – O engenheiro brasileiro Márcio Barbosa, atual número dois da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) , mesmo sem o apoio do Itamaraty, deverá apresentar sua candidatura à direção geral da instituição representando outro país-membro, liderando uma coalizão de países que não aceitam a candidatura do ex-ministro da Cultura do Egito Farouk Hosny, apoiada por Brasília.

Respingo – Reafirmo o que já escrevi neste espaço: a grande aspiração da política externa deste governo petista é conseguir um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU. Na busca desta felicidade o Itamarati não tem poupado esforços, manifestando sua solidariedade aos mais ortodoxos regimes e personagens. O egípcio chegou a ter apoio de países influentes que, entretanto, recuaram diante das posturas antissemitas reveladas pelo candidato. Comenta-se que o apoio brasileiro seria uma estratégia para obter o voto em favor do chanceler Amorim para a direção da Agência Internacional de Energia Atômica.

  •  

Deixe uma Resposta