• Postado por Tiago

A “ignorância” conveniente

Pingo – Em entrevista a jornalistas brasileiros, LI declarou: “Não conheço a Constituição de Honduras, não sou especialista. Apenas sei que Zelaya é presidente de Honduras até terminar seu mandato. Se ele estava propondo um plebiscito, qual o crime?”, questionou. Informado de que a Constituição Hondurenha prevê a perda imediata dos poderes presidenciais em caso de tentativa de reforma constitucional, Lula respondeu que “Zelaya foi retirado à força e isso é inaceitável”.

Respingo – Sobre Constituição, tudo indica que ele não conhece nenhuma, nem a brasileira, à qual apesar de constituinte se negou a assinar. O fato de não ser especialista não lhe permite de, como Chefe de Estado, emitir opinião sobre a legislação constitucional de outro país. Entretanto, se, mesmo sem ser especialista, entendesse de cumprir as leis e respeitar as decisões dos tribunais, saberia que nos casos de desobediência só resta a ação “manu militari” que, para os “folgados”, é difícil de aceitar.

Pingo – Da embaixada do Brasil, de onde continua a fazer pronunciamentos políticos, o presidente deposto Manuel Zelaya convocou a população a protestar contra o fechamento de emissoras: “Chamo a resistência às ruas para que exijam a liberação dos meios de comunicação fechados”, declarou ignorando que o estado de sítio, ainda em vigor, impede manifestações públicas.

Respingo – Em audiência na Comissão de Relações Exteriores do Senado, o ministro Celso Amorim disse que, embora saiba do teor emocional do momento, o Brasil tem feito seguidos apelos para que Zelaya evite manifestações políticas no interior da embaixada. Considerando a situação de “hóspede”, como a definiu o governo brasileiro, o tal de Zelaya além de mal-agradecido pela proteção é um mal-educado, pois desdenha dos apelos feitos pelo proprietário da casa em que se encontra. Talvez seja por considerar “muito responsável” o governo que lhe deu abrigo.

Pingo – Ainda na mesma audiência, Celso Amorim reiterou que o Brasil não teve participação na volta de Zelaya a Tegucigalpa, atitude considerada “irresponsável” pelos americanos. Para reforço de sua afirmativa, disse que ele e o presidente só ficaram sabendo da chegada de Zelaya na capital meia hora antes de ele se apresentar na embaixada brasileira. Revelou ainda que três meses antes havia negado o empréstimo de um avião para que Zelaya regressasse, acrescentando: “que nem deveria revelar esse segredo, mas o faz para dar provas de que não está escondendo nada”.

Respingo – Só não explicou a coincidência da data e hora da entrada na embaixada com o dia e a hora do discurso do LI na Assembleia das Nações Unidas quando pediu proteção às instalações brasileiras em Honduras, agora transformadas em hotel com mais de uma centena de “hóspedes”.

Pingo – O delegado de Sant’Ana do Livramento indiciou nove mulheres ligadas à Via Campesina pela invasão de uma fazenda na localidade de Rosário do Sul. No inquérito, as militantes foram acusadas de formação de quadrilha, invasão de propriedade, corrupção de menores e desobediência judicial. O conflito ocorreu em 4 de agosto de 2008, quando a Brigada Militar despejou cerca de 500 mulheres que haviam ocupado a Fazenda Tarunã e arrancado centenas de mudas de eucaliptos para protestar contra a cultura ali praticada.

Respingo – Será que finalmente os brasileiros de bem terão oportunidade de ver aplicar-se a lei, pelo menos aquela que pune os atentados contra as coisas da natureza, tais como as plantações? Agora, a punição da tentativa de homicídio praticada por Irma Ostrovski que naquela oportunidade atacou um policial a golpes de foice, certamente passará em branco.

Pingo – A poderosa Guarda Revolucionaria do Irã anunciou o lançamento bem-sucedido de mísseis de curto (170 km) e longo alcance (2.000 km) em testes que tiveram o objetivo de mostrar que o país está preparado para enfrentar qualquer ameaça militar.

Respingo – A notícia não deve trazer nenhuma intranquilidade para os demais países, nem mesmo se a ela for juntada a divulgação da descoberta da segunda usina de enriquecimento de urânio, localizada nas proximidades da cidade sagrada de Quom em uma base fortemente protegida pela Guarda Revolucionária. Afinal de contas, Ahmadinejad já garantiu ao LI, de quem será hóspede brevemente, que o urânio é para fins pacíficos. Certamente os foguetes servirão para festejar o “Ano Novo”. O único problema é que se não for verdade não dará para reclamar.

  •  

Deixe uma Resposta