• Postado por Tiago

Foto: Pela primeira vez na história da LID será criada uma divisão de acesso. Parado, Marcílio quer que
juniores representem um time da city, e até o Barroso pode voltar aos campos, mesmo que na várzea

O último campeonato amador de futebol da liga Itajaiense de Desportos (LID) ficou marcado por vários atos de violência, dentro e fora de campo, o que manchou a imagem da entidade e dos clubes. Talvez empolgada com a copa do Mundo, que começa em junho, e tentando apagar o papelão de 2009, a LID promete mudanças radicais pra este ano.

A grande novidade é a criação da divisão de acesso, a Segundona do campeonato, com início no segundo semestre e que deverá contar com oito clubes. A confirmação é do coordenador de esportes da entidade, Paulo César Gonçalves, o Paulinho. “O planejamento tá pronto, queremos organizar dois campeonatos, reformular tudo. A divisão de acesso tá certa”, diz.

Como é preciso grana pra tirar o projeto do papel, o coordenador da LID afirma que tudo depende da aceitação dos clubes. “Também precisamos fechar as parcerias”, fala.

O certo é que a elite vai rolar entre o Carnaval e a copa, ainda sem data definida, e vai contar com 12 clubes. Quem jogou os campeonatos de 2007 a 2009 têm a preferência de inscrição. “Caso haja desistência iremos chamar outros”, explica Paulo. O objetivo é que a divisão de acesso ajude a formar a elite de 2011 com 16 clubes. A partir daí, cairiam quatro e subiriam outros quatro times.

Clássico de volta?

Pra este ano, está confirmada a volta do Fiúza Lima. Mas outros dois tradicionais clubes da city, os maiores, também podem pintar no amador peixeiro. Quem tá quase certo é o Marcílio Dias, que usaria seus juniores pra jogar e vestir a camisa de um time amador. “O presidente Abelardo Lunardelli fez uma proposta pra representarmos uma equipe. Era uma boa pra garotada jogar”, diz o técnico dos guris do Cílio, Antônio Augusto.

Eterno rival, o Barroso também pode entrar na onda, mas seu presidente, Selso Bartelt, coloca um empecilho. “O maior problema é o campo. Pode chover à vontade que o juiz não para o jogo. Isso acaba com o campo e o associado vai cobrar”, explica.

Se tudo der certo, seria uma boa pro futebol da city e pra LID. “A intenção é que Marcílio e Barroso possam estar juntos”, fala Paulinho, garantindo também que a cartolagem dará atenção especial à segurança nos jogos pra que não rolem novos casos de violência. “Vamos mudar tudo”.

  •  

Deixe uma Resposta