• Postado por Tiago

A leitora Sara Galvão Fernandes, 32 anos, que mora no Promorar, em Itajaí, tá andando diapezão por causa do perrengue envolvendo o despachante Gil. A peixeira conta que nos mês de agosto entregou o documento do carro para renovar o licenciamento e, mesmo tendo feito o pagamento adiantado, nada foi encaminhado. Ela pagou R$ 700.

Na semana passada, Sara resolveu ir até o despachante pra saber como andava o processo. “Me disseram que meu documento não tava pronto e que eles não tinham como fazer. Se eu quiser, eles me devolvem o dinheiro em parcelas mensais de R$ 100. Um absurdo”, reclama.

Sara não sabe o que faz da vida, já que pra regularizar os papélis terá que procurar outro despachante e falta grana pra isso. “Meu carro tá parado, não tenho como sair. Tem blitz por tudo quanto é lado e eu não quero correr o risco de perder o carro”, bufa, completando:

Pra se virar com a sua bebezinha de apenas dois meses, a leitora depende da ajuda de sua irmã.

Sem resposta

O DIARINHO ligou duas vezes para o despachante Gil. O gerente do local estava em atendimento e ficou de retornar a ligação, mas até o fechamento desta edição o contato não foi feito. O golpe do despachante começou a ser aplicado há dois meses. O Detran informa que está investigando o caso e o despachante continua funcionando.

  •  

Deixe uma Resposta