• Postado por Tiago

INERNA-POLÍCIA-CINCO-ABRE---P---latrocinio-BC---brigitte-bardot-(3)

Polícia recolheu as imagens das fitas do sistema de segurança do prédio

Um dia depois de encontrar num prédio chicoso do Balneário Camboriú o corpo do aposentado Güinther Frientchs Burckhardt, 82 anos, a equipe de investigação da polícia civil fecha o cerco em torno do assassino. A polícia acredita que o matador já vinha mantendo contato com a vítima. O véinho era vitima de extorsão e já tinha perdido mais de R$ 500 mil pra bandidagem.

O delegado Eliomar Beber conta que Günter era apontado como vítima de um crime de extorsão. Em outubro ele procurou a Central de Operações Policiais da Civil pra denunciar o furto de meio milhão de reais. A dinheirama teria sumido de dentro da sua casa, o apartamento do nono andar do prédio Sunshine, que fica na avenida Brasil, no centrão do Balneário.

Os policiais também investigavam outros saques que foram realizados na conta do véinho. ?Tudo indicava que ele era vítima de extorsão. Ele contou que o dinheiro tinha sumido, mas não queria falar nada, não sabia explicar o sumiço?, contou o delegado. Volta e meia o aposentado aparecia na delegacia pra ajudar nas investigações, mas muitas vezes ficava de bico fechado e acabava atrapalhando mais ainda, como se tivesse com medo de dizer o que rolava. A última aparição na depê foi na sexta-feira anterior ao dia do crime.

O dotô afirma que a equipe se virava nos trinta pra descobrir quem coagia o coitado do aposentado. Nos dois meses deram duro em cima do processo, mas não conseguiram concluir a investigação antes da desgraceira. ?A gente sempre alertou, toma cuidado. Não confia nas pessoas que você leva pro seu apartamento?, lembra o delegado.

O pessoal coletou as imagens das câmeras de segurança do circuito interno do edifício pra identificar quem foi o traste que deu as marteladas e depois sufocou a vítima. Foram recolhidas gravações desde sexta-feira, o último dia que Günter manteve contato com a família. Com as imagens, os investigadores esperam reconhecer a pessoa que esteve no apê do aposentado.

Günter foi sepultado ontem no parque dos crisântemos, na divisa de Itajaí e Balneário. Ele era aposentado, mas fez fortuna trampando com transporte. Era natural de Ibirama e passou a maior parte da vida em Blumenau. Há 10 anos, depois de pendurar as chuteiras, deixou a família na terra dos alemóns catarinas e veio morar sozinho no Balneário. Desde então, mantinha contato diário com uma empregada doméstica, que prestava serviço na residência e foi quem encontrou o coitado morto.

O crime

Günter foi achado na manhã de terça-feira, caído na sala do apartamento de casa. Ele estava com marcas de marteladas por todo o corpo e uma toalha em torno do pescoço. O assassino ainda teve o trabalho de botar um pano na boca do coitado pra que ele não gritasse. O apartamento foi todo revirado, mas apenas o cofre estava intacto. Foram encontrados em cima da mesa, duas taças de vinho, o que indica que o assassino pode ser conhecido da vítima.

  •  

Deixe uma Resposta