• Postado por Tiago

O aposentado João Aparecido dos Santos, 58 anos, tá dicara com a situação da saúde itajaiense. Ele conta que tem um problema no ouvido que tá tirando suas noites de sono e precisa fazer um exame de audiometria. O pedido do exame já foi feito em abril, mas até agora nada de marcarem.

João diz que tem um zumbido no ouvido que anda perturbando sua vida há um ano. Isso desde que fez uma limpeza na zureia pra um exame admissional. “Isso foi em agosto do ano passado e o problema não sara. Essa audiometria eu deveria fazer pra ver o que é isso, mas tô esperando até hoje”, lamentou.

O exame foi marcado no mês de abril e agendado pro dia 4 de julho na policlínica central do município. Mas antes disso, o pessoal da secretaria da saúde peixeira ligou pra casa do seu João pra dizer que não rolaria, pois o aparelho de audiometria tava escangalhado. “Já passou um tempão e nada. Eu acho que vão esperar eu ficar surdo pra resolver. É sério, com a saúde das pessoas não se pode brincar assim”, alertou.

Seu João diz que desde que cancelaram seu exame, nem procurou mais o postinho. “Eles me ligaram pra cancelar, agora devem me ligar pra remarcar. É o mínimo que devem fazer”, diz, intisicado.

Nervoso, o aposentado completou: “E também não fui lá porque ando num estado de nervos complicado. Se eu for lá vou acabar arrumando confusão”.

Não apareceu no dia marcado

Através da assessoria de imprensa da secretaria de saúde, a coordenadora da policlínica central, Débora da Silva Iemanjá, confirmou que o tal aparelho de audiometria ficou detonado por 45 dias, mas já tá novinho em folha. Ela também disse que o exame do seu João foi remarcado pro dia 13 de julho, mas ele não apareceu por lá.

“Ligamos pra ele no começo de julho, mas como ele não estava em casa, deixamos recado com o Felipe, que atendeu o telefone. Ele não veio pra fazer o exame, foi desmarcado e agora o seu João precisa vir aqui pra remarcar”, explicou.

O perrengue que escangalhou o equipamento causou um atraso gigante no trampo e agora o pessoal tá sendo chamado de pouco em pouco. “A demanda é tanta que os exames marcados hoje estão sendo agendados só pra novembro”, completou Débora.

  •  

Deixe uma Resposta