• Postado por Tiago

A região do Araçá, em Porto Belo, ganhou uma visitinha do Ministério Público Federal (MPF). O objetivo foi bizolhar se as novas regras que tão valendo pra área, desde que se tornou de preservação, no ano passado, tão sendo cumpridas. Até que seja definido um plano de manejo, tá proibido fazer qualquer tipo de construção ou reforma por ali.

A transformação da área em uma APA rolou por conta de uma pendenga antiga com a dona justa. Há 10 anos, os pescadores artesanais de Porto Belo abriram o berreiro contra a dragagem do rio Rebelo, feita pela prefa, alegando que a obra espantaria os peixes. Na época, foi proposta uma ação civil pública, e a prefeitura prometeu preservar o Araçá pra compensar os danos provocados pela dragagem.

Mas a promessa só foi colocada em prática no ano passado. A vice-presidente da APA, Josiane Mendes Bezerra, conta que já tá tudo funcionando direitinho. O conselho foi formado, e se reúne uma vez por mês. Entre os conselheiros tão representantes das associações de bairro de Porto Belo, da prefa, da Fatma, do Ibama, e o procurador Pedro Nicolau Moura Sacco, do MPF peixeiro.

  •  

Deixe uma Resposta