• Postado por Tiago

Rosicler de Fátima, 51 anos, acusada de matar o marido, o advogado Jaime Antônio Bosi, foi condenada a 18 anos de prisão a serem cumpridos em regime fechado. Ela e o amante, Felipe Shulder, mataram o advogado a pauladas em Ilhota, no fim de 2007. A viúva-negra cumprirá a pena no cadeião de Blumenau, onde estava presa desde janeiro do ano passado.

O juiz Sérgio Agenor de Aragão leu a sentença por volta das 22h30 da noite de quarta-feira, depois de 13 horas de julgamento. Como o fórum da comarca não tem auditório, o júri rolou na Câmara de Vereadores de Gaspar. Os dois filhos do casal, Daniel e Michele Bosi, acompanharam o julgamento do começo ao fim e ouviram a sentença, com um misto de alegria e tristeza. Rosicler foi conduzida de volta pra jaula, enquanto o povão berrava: “assassina!”.

A defesa disse que vai recorrer da decisão, alegando que o processo indica que Jaime morreu por causa de uma queda e sem a participação da muié e do amante. No ano passado, Felipe também foi julgado pelo assassinato do advogado e condenado a 15 anos de cadeia.

O crime

O caso Bosi, que ficou famoso na região do Vale do Itajaí, rolou na madrugada do dia 28 de dezembro de 2007. Jaime era advogado da multinacional National Starsh, de Trombudo Central, e foi vítima da mulher e do amante dentro da casa do casal. Eles colocaram calmante no café do coitado e depois o acertaram com pancadas na cabeça. Com o executivo morto, a dupla armou toda a cena do crime.

Felipe amarrou Rosicler, pegou três computadores, três celulares e três receptores de antenas parabólicas e botou tudo dentro do carro de Jaime, junto com o próprio corpo da vítima. O corpo foi desovado no bairro Belchior, em Ilhota, próximo à BR-470 e o restante dos objetos e a caranga largados em Itajaí.

  •  

Deixe uma Resposta