• Postado por Tiago

André meteu qu atro tirombaços na vítima que morreu na hora

O julgamento do agricultor André José Cordeiro, acusado de assassinar Arnaldo Otavio Zermiani, então com 50 anos, no dia três de novembro de 2003, terminou com a condenação do réu a 18 anos de cana. Zermiani foi assassinado com quatro tiros na estrada geral do Rio do Meio, interior de Itajaí.

O crime rolou porque Zermiani teria discutido com irmão de André, D.C., então com 16 anos. O garotão teria contado ao irmão, que resolveu tirar satisfação da vítima. A família de André tinha uma plantação de arroz nos fundos da propriedade de Arnoldo, também agricultor. Para chegar até as terras, o réu passava dentro do terreno da vítima, o que nunca tinha sido problema até o dia do assassinato. A treta começou porque o irmão mais novo do réu, Divanei Arlindo Cordeiro, que na época era dimenor, entrou na propriedade de Arnoldo sem fechar a porteira. A vítima não gostou e deu um pito no gurizão, pedindo para fechar a porteira, pra evitar que os animais fugissem.

Divanei ficou revoltado com a bronca que tomou e xingou o coitado, simandando pra casa sem fechar a porteira. Como se não bastasse a malcriação, o moleque chegou em casa e reclamou para o irmão mais velho do pito que tomou de Arnoldo. André, que segundo o pessoal do bairro era metido a machão e atirador, pegou a arma sem registro que guardava na baia e saiu para encontrar o cara. Ele e o mano subiram em uma motoca e foram atrás de Arnoldo.

Os trastes viram que a caminhonete de Arnoldo tava chegando em casa e meteram a cabrita na frente do possante. A vítima desceu do carango e depois de um bateboca André sacou a arma e meteu quatro tiros no peito do coitado, que morreu na hora. Arnoldo foi levado às pressas pelo irmão, Francisco Arnaldo Zermiani, até o hospital Marieta Konder Bornhausen, mas morreu ao dar entrada no pronto-socorro. Os mequetrefes fugiram e não foram presos, respondendo a todo o processo em liberdade.

  •  

Deixe uma Resposta