• Postado por Tiago

O tribunal do júri se reúne hoje em Itajaí a partir das 9h para julgar Nilton Vieira Jacinto, 52 anos, acusado de mandar pro além Cerion Ademar Novaes, em 2003. O crime rolou na porta da merceria de Nilton e teria sido um acerto de contas. O réu respondeu a todo o processo em liberdade.

A treta rolou no dia 18 de junho de 2003, numa mercearia no bairro Fazenda. Testemunhas contaram à polícia que Cerion foi até a mercearia de Nilton para tratar de uma dívida que a família tinha com o dono da bodega.

A briga entre os dois comerciantes seria por causa de um perrengue do pai da vítima, que estaria devendo R$ 1190 a Nilton, referente à compra do estoque de uma mercearia. O assassino teria ido cobrar a grana do pai do cara, Ademar Manoel de Novaes, e Cerion teria se metido, dizendo que o assunto, dali em diante, era com ele.

Os dois discutiram e o bate-boca acabou em morte. Os tirombaços começaram dentro da loja e foram parar na porta, onde rolou a azeitonada fatal. Já com o rapaz cambaleando, Nilton teria dado o tiro de misericórdia, no rosto, mandando o carinha comer capim pela raiz ali mesmo.

Nilton confessou ter matado o comerciante e inquilino com três balaços, na véspera do feriadão de Corpus Christi, e depois jogou a arma fora.

  •  

Deixe uma Resposta