• Postado por Tiago

  

Acidentes em lugares ermos e de difícil acesso, pessoas com sintomas de um infarto ou derrame, transferência de um hospital pra outro, um bebê prestes a nascer. Pra uma variedade tão grande de emergências, é preciso ter uma quantidade enorme de equipamentos. E por incrível que pareça, cabe de tudo nas ambulâncias.

Uma UTI móvel tem todo tipo de medicamentos, cilindros de oxigênio, respirador, e até um equipamento modernoso que além de ser um desfibrilador (usado pra reanimar quem tá com parada cardíaca), também pode funcionar como um marca-passo. ?A tecnologia que temos aqui é igual a de qualquer país desenvolvido?, diz Douglas. Tanto cuidado se explica: dentro de uma UTI móvel podem rolar até pequenas cirurgias, necessárias pra que o paciente sobreviva até chegar ao hospital.

A ambulância básica é mais simplesinha, já que atende casos em que não tem risco de morte iminente. Mas as duas funcionam como uma caixinha de surpresas. Cada espaçozinho tem uma gaveta ou prateleira, onde se acha desde aqueles suportes pro pescoço, usados em acidentes, até macas infláveis.

Todo o equipamento usado nos atendimentos fica separado em mochilas. A verde e a vermelha são do enfermeiro, e tão entulhadas de remédios e seringas. A laranja é do socorrista, e tem material pra ser usado em caso de trauma, como uma perna quebrada, por exemplo. A azul é do médico, e tem desde balão usado em parada respiratória até um aparelho que é colocado dentro da traquéia pra facilitar a entrada de ar. Também tem uma mochila com todos os equipamentos pequenininhos, feita sob medida pra atender crianças.

Douglas comenta que o material nas mochilas faz toda a diferença em lugares onde a ambulância não chega. ?Nesses casos colocamos as mochilas nas costas e levamos a maca na mão?, conta o médico. Haja fôlego!

  •  

Deixe uma Resposta