• Postado por Tiago

p---prisão-de-quadrilha-pela-PF-(24)

Quadrilha movimentava cerca de 200 quilos de droga por mês

A polícia federal prendeu na manhã de ontem uma quadrilha de traficantes que distribuía porcarias por Santa Catarina, Rio Grande do Sul e São Paulo, numa ação da operação Alvorada. Quinze pessoas foram guentadas em Balneário Camboriú e Itajaí. Entre os safados, estão os donos da pousada Ondas do Mar, que fica na Maravilha do Atlântico, os chefões da Construtora Costa & Nezi e o proprietário da loja Super Motos, no Itajaí. O bando estaria movimentando carregamentos de crack e cocaína escondidos em cargas de soja e milho, que saíam de Ponta Porã/MS. Do Mato Grosso do Sul, a droga seguia para Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Com a quadrilha, foram apreendidos carrões nacionais e importados, R$ 84 mil e quase quatro quilos de cocaína.

Conforme a PF, quatro dos presos em Santa Catarina eram tidos como os chefões do bando, responsáveis pela chegada da droga ao sul do país. Todos eles usavam telefones celulares com o prefixo 51, da área metropolitana de Porto Alegre/RS. Os suspeitos guentados teriam participação no financiamento da quadrilha ou colaboravam com a lavagem do dinheiro do lucro da venda dos entorpecentes.

A quadrilha começou a ser investigada em outubro do ano passado. João Carlos Flores da Costa, preso num hotel da rede Ibis, em São Paulo, era o responsável por toda a movimentação do bando. Ele e a esposa, Tânia Cristina Fernandes Matoso, são apontados pela polícia com os chefões da quadrilha, e tavam sendo monitorados pela polícia desde que saíram de Ponta Porã.

Em Santa Catarina, a droga era levada direto para as mãos de Estefânio Aparecido de Oliveira, apontado como o braço direito de João em Balneário Camboriú. Estefânio ficava responsável pela distribuição das drogas aos traficantes bagrinhos. A porcaria era distribuída em pequenas doses, pra não dar na cara, pro interior de Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

O delegado José Dinarte de Castro Silveira, responsável pelas investigações, explicou que em média a quadrilha trazia cerca de 200 quilos de droga por mês pra vender na região. Junto com os presos foram encontradas oito carangas, quatro em Ponta Porã e quatro em Itajaí, onde também foram apreendidas mais duas motos, 84 mil reales e 3,7kg de cocaína.

  •  

Deixe uma Resposta