• Postado por Tiago

O treinador de futebol José Alexandre Reis, 57 anos, mais conhecido como Português, registrou um boletim de ocorrência contra Edson Luiz da Costa, diretor da Secretaria de Cultura e Esporte de Balneário Piçarras. Português diz que sua esposa e o filho, de apenas 14 anos, foram expulsos do campinho de futebol da cidade por Edson. O bagrão da prefa teria se vingado de Português, que apoiou o ex-prefeito Leonel Martins (PSDB) nas últimas eleições municipais.

Ao final da tarde do dia 30 de julho, Edson teria chamado a polícia quando mãe e filho tavam usando o campinho da city. Fez isso pra expulsar a família de Português do local por pura picuinha política.

Português foi treinador de futebol da prefeitura durante seis anos. Ele foi demitido no final do ano passado. Português diz que já tem registrado outro boletim de ocorrência por suspostos abusos praticados pelo chefão da secretaria de cultura e esporte.

Invadiram o campinho, acusa secretário

Edson da Costa confirmou que chamou a polícia para tirar a mulher e o filho de Português do campinho. Fez isso, alega o abobrão, porque eles invadiram o local. “Eles furaram o alambrado, sem permissão, pra treinamento próprio”, acusa Edson.

O diretor da secretaria diz que Português foi avisado de que não poderia entrar no estádio enquanto ele tivesse fechado. Mas Português e sua família não vinham obedecendo. A polícia, conta Edson, foi chamada junto com o conselho tutelar. Mas a mulher e o filho do ex-treinador fugiram assim que viram as autoridades chegando.

O bagrão da secretaria de cultura e esporte também diz que Português e sua família podem entrar no campinho de futubol, como qualquer outra pessoa do povão, mas desde que ele esteja aberto. Outra condição é que o guri receba treinamento do técnico contratado pela prefa, assim como as demais crianças que fazem parte da escolinha de futebol. “No campo municipal a responsabilidade é do professor. Se acontecer qualquer coisa, a culpa é do municipio”, sisplicou o abobrão.

O ex-treinador não estaria deixando o filho treinar com outro técnico e, mesmo morando longe do campo de futebol, sempre aparece por lá. “Ele vai só pra criar intriga”, espeta o diretor da secretaria.

  •  

Deixe uma Resposta