• Postado por Tiago

INTERNA_abre_direita_baiana-gestante-_foto-menina-superpoderosa-(6)

Mariulza tá indignada pelo jeito como foi tratada no projeto social do pastor Francelino

O semblante de Mariulza de Jesus, 29 anos, demonstra a indignação que a baiana ficou com o acontecido na quarta-feira à tarde, na sede do projeto social da TV Brasil Esperança, no bairro São Vicente. A mulher, que há mais de dois anos mora em Itajaí, conta que foi enxotada do local, quase apanhou e ainda recebeu ameaça de atropelamento de uma funcionária do projeto.

Mariulza tá esperando o quarto filho e sua gravidez é de risco. Ela veio da Bahia tentar a vida na city peixeira e aqui conheceu o seu atual marido, com quem já tem um menino e agora está no sétimo mês de gestação de uma guria. Os outros dois pimpolhos ficaram com a avó no nordeste, enquanto a mãe tenta ajeitar a situação financeira na Santa&Bela.

A baiana conta que trampa como varredora de rua e o que ela e o marido ganham é suficiente apenas pra pagar a alimentação e a moradia da família, no São Viça. O enxoval da bebezinha que tá pra nascer ficou de lado e a mãe decidiu pedir ajuda no famosão projeto social da TV Brasil Esperança.

Mariulza disse que em julho teve na sede do projeto e falou com a coordenadora Alice Barbetta, que também é apresentadora da TV Brasil Esperança. ?Ela disse que quando completasse sete meses de gravidez era pra eu voltar no projeto que ela me daria o enxoval?, conta a baiana, que seguiu a orientação da chefona.

Anteontem, a gestante voltou à sede do projeto social. Mariulza conta que Alice trouxe uma pilha de roupa velha, doada da enchente, e um documento pra ela assinar, comprovando o ato bondoso do projeto Brasil Esperança. ?Eu esperava receber roupinhas de bebê e não doações da enchente. Agradeci, me desculpei e falei que não queria. Dali em diante comecei a ouvir desaforo?, disse.

A leitora falou que uma funcionária do projeto tomou as dores da patroa e soltou os cachorros. A mulher loira, conforme relata Mariulza, disse que era pra ela voltar pra Bahia porque em Santa Catarina as mulheres assumem seus filhos. Além disso, a tal funcionária teria ameaçado bater na gestante e ainda a atropelar, caso passasse por ela de carro.

A baiana tá indignada e disse que decidiu contar o fato pro povão ficar sabendo que nem todas as pessoas são tão boazinhas quanto parecem.

Não foi bem assim

Alice Barbetta, coordenadora do projeto social da Brasil Esperança, disse ao DIARINHO que a história não foi bem como Mariulza de Jesus relatou. Ela contou que a maioria das roupas dadas no projeto é proveniente de doação do povão e que a gestante não gostou das peças usadas. ?Ela falou que não queria os trapos velhos, que queria roupa nova?, afirma a coordenadora.

Alice jurou que em momento algum bateu boca com Mariulza, mas que uma voluntária ficou dicara com a ingratidão da baiana. ?As duas ficaram discutindo verbalmente e eu pedi pra Mariulza ir embora pra evitar uma confusão ainda maior. Em momento algum houve ameaça?, garante.

  •  

Deixe uma Resposta