• Postado por Tiago

CONTRA---s-Joinville-x-Figueira-241.01.10

O atacante tricolor Lima deitou e rolou na defesa alvinegra

A ameaça de crise no Joinville, com a possível demissão do técnico esquentadinho Sérgio Ramirez após desentendimento com a diretoria do clube, caiu por terra após o baile que as suas bailarinas aplicaram na vitória por 2 a 1, sobre o Figueirense.

No início do jogo a peleja mais parecia um ataque contra defesa, com o JEC não tomando conhecimento do Alvinegro. Se fosse boxe, com certeza o técnico Renê Weber do Figueira teria jogado a toalha nos minutos iniciais, pois os seus defensores estavam perdidos no gramado da Arena.

Logo aos sete minutos, o Joinville mostrou o seu cartão de visita através do atacante Lima. Ele fez bela jogada, mas foi travado no momento da conclusão pelo zagueiro João Felipe. Na sequência, as bailarinas seguiram com o baile e os manezinhos correndo errado. Wilson fez boas defesas em cabeçada de Lima e chute de William.

Aos 22, o time da casa mais uma vez levou perigo à baliza do Alvinegro. Lima deitou na zagueirada e bateu de fora da área, pra bela defesa de Wilson.

Pra mostrar que tava vivo na partida, aos 33, Júnior Negrão recuperou a bola no campo de ataque, invadiu a área do JEC e caiu ao dividir com Lacerda. O árbitro peixeiro Célio Amorim mandou o jogo seguir. Um minuto depois, Fabiano defendeu cobrança de falta de João Paulo, na gaveta.tinuou

As bailarinas continuavam abusando de tanto perder gol e, aos 37 minutos, rolou mais uma sequência de ótima oportunidades disperdiçadas. Primeiro foi o zagueiro Samuel quem cabeceou livre e Wilson fez uma defesa milagrosa. A bola sobrou pra William chutar em cima de Jeovânio, com o goleiro já vendido no lance. Logo depois, o ex-marcilista Leandro Costa limpou o lance dentro da área e soltou o sapato de direita, estremecendo o poste esquerdo de Wilson.

Já dizia o ditado: água mole e pedra dura tanto bate até que fura. Aos 40 minutos, Lima recebeu lançamento, invadiu a área e, apesar de um escorregão, tirou Roger Carvalho do lance e chutou colocado pra abrir o placar.

O Figueira nem tinha se recuperado do baque e no minuto seguinte o atacante tricolor, que tava com o diabo no corpo, aumentou a vantagem. Após cruzamento rasteiro de Leandro Costa, ele se esticou pra fazer 2 a 0.

No primeiro tempo foram 15 finalizações das bailarinas contra apenas quatro dos manezinhos.

Melhorou um pouco

Após assistir o JEC jogar todo o primeiro tempo de dentro do campo, o Alvinegro voltou do intervalo com duas alterações pra ver se melhorava. Douglas e Jean Carioca entraram nos lugares dos dorminhocos Marquinho e Ernane.

A equipe melhorou um pouco, mas não o suficiente pra equilibrar a partida. Júnior Negrão, um dos poucos que levava perigo ao JEC, fez jogada individual aos 13 minutos e quase diminuiu. Mas o atacante do Figueira quis fazer um gol de placa e se complicou na hora da conclusão.

Sempre ele

As bailarinas se acomodaram com os 2 a 0 e optaram em jogar apenas nos contra-ataques. Aos 28 minutos, Lucas chutou e Júnior Negrão pegou o rebote, mas perdeu gol incrível. Com o goleiro Fabiano vencido no lance, ele chutou pra fora. Dois minutos depois, o atacante fez as pazes com a torcida alvinegra e descontou. O boleiro recebeu na área e finalizou consciente pra dar números finais ao jogo. Foi o quarto gol de Negrão no Catarinão 2010, artilheiro isolado do torneio.

  •  

Deixe uma Resposta