• Postado por Tiago

Rapaziada pode ir pros corredores da facul com uma ajudinha extra nas mensalidades

O baixo número de pessoas inscritas e o calendário de matrículas da Univali, que se estendeu para esta semana, fez com que os abobrões da prefa de Itajaí decidissem prorrogar as inscrições para a bolsa de estudos prevista na lei orgânica municipal. O prazo final, previsto para ontem, pulou para segunda-feira, dia 20.

Fernando Pegorini, diretor para assuntos da juventude da secretaria municipal da Criança e do Adolescente, disse ao DIARINHO que apenas 100 pessoas haviam se inscrito até o início da semana. Isso preocupou os abobrões da prefa, já que o número representa apenas 26% das pessoas que no semestre anterior tentaram conseguir a bolsa. Em fevereiro, foram 383 inscrições e 234 bolsas aprovadas.

O calendário de matrículas da Univali, a maior universidade privada do estado, que vai até esta semana, teria sido uma das causas da baixa procura pela bolsa da lei orgânica, acredita Fernando. É que a inscrição somente é feita com o comprovante de matrícula e muitos estudantes acabam deixando para fazê-la na última hora. As matrículas na Univali se encerram amanhã.

Outro motivo seria o desestímulo dos estudantes com a baixa no percentual da bolsa de estudos. Este ano, o arrêgo está limitado ao máximo de 20% do valor da mensalidade. ?Muita gente acha que esse percentual não ajuda?, avalia Pegorini. Até o primeiro semestre deste ano, as bolsas chegavam a 100%. Decreto do prefeito Jandir Bellini, de junho, limitou em 20% a ajuda de custo para os estudantes universitários. A decisão foi tomada com a alegação de que mais pessoas seriam contempladas com a bolsa.

Outro motivo apontado por Fernando é a troca de local das inscrições. Passou da sede da Prefeitura, para a secretária da Criança e do Adolescente, que fica na rua Alfredo Trompowiski, na Vila Operária.

Entenda a bolsa da lei orgânica

A bolsa de estudos da prefeitura de Itajaí é prevista na lei orgânica, que é a principal lei do município. O artigo 192 da lei obriga o prefeito a destinar de 2 a 4% do que é arrecadado com impostos na cidade pra ajudar a rapaziada a ir pra universidade.

O arrego é dado pra quem estuda na Univali, no Instituto Cenecista Fayal de Ensino Superior (IFES) ou em qualquer faculdade reconhecida pelo ministério da Educação e que fique no máximo a 60 quilômetros de distância de Itajaí. Mas não pode ser um curso que já tenha no Ifes ou na Univali e nem ensino à distância.

Desde junho desse ano, o percentual de ajuda foi limitado a 20% do valor da mensalidade. São cinco parcelas por semestre. Ganha os 20% quem tem renda de até dois salários mínimos por pessoa na família. De dois a três salários por cabeça na família, a ajuda é de 15%. Fica com 10% quem tem mais de três salários mínimo de renda por pessoa em casa.

Uma comissão formada por gente da prefa e da câmara de vereadores, por representantes da Univali e do IFES e por um membro do diretório central dos estudantes (DCE) da Univali avalia os pedidos e libera a bolsa.

  •  

Deixe uma Resposta