• Postado por Tiago

A malocada pegou gosto por usar carinhas como alvo. Na noite de terça-feira, Edvaldo Patrício Gardini, 43 anos, tomou um tirombaço quando dava uma banda pela rua Angelina, no bairro dos Municípios, em Balneário Camboriú. O crime rolou nove horas depois que um rapazote foi baleado em Camboriú.

Edvaldo disse pros homisdalei que tava indo visitar um colega quando sofreu o atentado. Dois trastes passaram pela rua montados em uma bicicleta. O garupa da ziquinha sacou um trabuco e mandou dois tiros contra a vítima. Por sorte, o atirador era ruim de mira e só acertou uma azeitonada. O tiro cravou na perna esquerda de Edvaldo, que caiu na rua gritando por socorro.

Antes que algum bisbilhoteiro aparecesse pra ver o que tinha rolado, os salafrários simandaram pra dentro do bairro dos Municípios. Ao ouvir os berros de Edvaldo, o povão apareceu e chamou o Samu.

Os socorristas deram os primeiros socorros e levaram a vítima pra tratamento médico no hospital Santa Inês. O homem foi medicado, permanece internado e não corre risco de morte.

A equipe de investigação da central de Investigação da Polícia Civil do Balneário soube da tentativa de assassinato e deu um pulo no hospital pra bater um papo com Edvaldo. O cara não quis colaborar muito. Limitou-se a dizer que não conhecia os atiradores e admitiu que estaria com uma bronca com a malocada, mas preferiu deixar o assunto por isso mesmo e nem contou qual seria o rolo.

Os tiras abriram um inquérito e investigam o crime. Apesar da falta de ajuda da vítima, pretendem identificar os responsáveis pelos disparos. Quem puder ajudar os homisdalei pode ligar pro 181 e fazer a sua denúncia. O disque-denúncia não registra número do telefone e nem o nome da pessoa que telefonou.

Camboriú

A polícia Civil de Camboriú também investiga uma tentativa de assassinato registrada na madrugada de terça-feira. Cristian Júnior Nascimento, 20 anos, foi baleado quando chegava em casa, na rua Monte Castelito, no bairro Monte Alegre. Ele recebeu atendimento do hospital Santa Inês, mas já ganhou alta.

Cristian registrou um boletim de ocorrência, mas preferiu ficar mudinho e não abriu o jogo pros homisdalei. Disse que não devia nada pra bandidagem e sequer conhecia o autor do tiro.

  •  

Deixe uma Resposta