• Postado por Tiago

CONTRACAPA---s---recife-artificial-bc---divulgação

Projeto que prevê ondas grandonas na city tá avançado, mas pode custar cerca de quatro milhões de reais

Após estudos e ideias, envolvendo prefeitura de Balneário Camboriú e a empresa pública ASR Ltda., da Nova Zelândia, o projeto ?Onda Perfeita? tá perto de sair do papel. Pelo menos é isso que acredita Marcos Gândor, oceanógrafo e mestre em dinâmica costeira e oceânica, autor da bagaça. O pensamento de Marcos, gerente de projetos da ASR no Brasil, é fazer com que, usando sacos de areia no fundo do mar e formando um recife artificial, o canto Norte de Balneário Camboriú e a praia do Coco passem a ter altas ondas, sempre com um mínimo de meio metro.

Com a aprovação do projeto pelo prefeito da Maravilha do Atlântico, Edson Periquito, outra importante parte do processo foi a entrega do orçamento do trabalho. Mas como o recife será construído através de uma licitação, o custo é meio que mantido em sigilo. Curioso que só, o DIARINHO foi atrás do valor da última obra com os mesmos moldes que sairá em Balneário, feita pela empresa ASR, na Inglaterra. Em libras, moeda local, o valor foi de 1,4 milhão, quase quatro milhões de reales.

Principal entusiasta do projeto, Marcos diz que não é só o surfe da cidade que vai ganhar. ?O projeto agrega turismo, comércio, esporte, pesca. Para o surfe vai ser um avanço de 100 anos. A cidade poderia sediar eventos de nível mundial?, fala Marcos, que vai apresentar o projeto à comunidade no dia 9 de novembro, no bar Surfers Paradise, na avenida Brasil, às 20h.

Grana certa?

Mesmo com o alto investimento, Marcos garante que o retorno do projeto vai rolar, com uma projeção de lucro de 30 dólares pra cada verdinha investida. Além de dinheiro público, como da prefeitura ou do governo do estado, a iniciativa privada também poderá entrar com dindim pro projeto, como empresas especializadas em surfe, além de lojas, hotéis e restaurantes mais próximos às ondas, que deverão tirar o investimento com o aumento das vendas depois de tudo pronto.

Marcos também garante que o recife artificial não vai prejudicar o meio ambiente. ?O impacto ambiental vai ser positivo, vai aumentar o número de espécies no local. Tudo que vai ser feito será através de coleta de dados. É um projeto de grande escala?, diz.

Localizado entre o canto Norte e a praia do Coco, no recife de Balneário serão usados sacos de areia, escolhidos por serem ambientalmente corretos. ?Não tem composto químico. O formato que vai quebrar a onda foi melhor projetado com saco de areia?, explica Marcos, que garante altas direitas pra galera no Coco.

Periquito vê economia crescer

Pro prefeito de Balneário, a proposta que apresentou quando ainda era candidato à prefeitura vai viabilizar ondas de melhor aproveitamento, com o pensamento de fazer a cidade ter campeonatos de surfe profissional, aumentando a economia da city. Periquito acha que o projeto também será importante pro turismo fora de temporada, porque, além de trazer mais pessoas à cidade, a economia de Balneário pode se consolidar ainda mais.

  •  

Deixe uma Resposta