• Postado por Tiago

CONTRA-ABRE---circuito-de-volei-de-praia---foto-silvio-avila-cbv

Foi confirmado ontem que a Maravilha do Atlântico será palco da segunda etapa do circuito Brasileiro de Vôlei de Praia, o mais disputado do mundo. Duplas da city viajarão menos pra competir no ano que vem

A confederação Brasileira de Vôlei (CBV) divulgou ontem o calendário do circuito Brasileiro de Vôlei de Praia 2010. Como rolou neste ano, Balneário Camboriú segue sendo palco de uma das 12 etapas do campeonato. Será em fevereiro, na segunda parada. O circuito começa em janeiro, em Caxias do Sul/RS, que é uma das novas cidades no calendário.

Outros cinco municípios estreiam no calendário: Uberaba/MG, Goiânia/GO, Campo Grande/MS, Petrolina/PE e Búzios/RJ. Elas substituem as etapas de Santa Maria/RS, Curitiba/PR, Teresina/PI, Recife/PE e Salvador/BA. A grande ausência será a etapa de Belém/PA, deixando a região Norte de fora.

As duplas de Balneário Camboriú, Keko/Nelsinho e Josi/Leize, devem ter gostado do novo calendário. Neste ano, os catarinenses percorreram 27.104 quilômetros, distância de pouco mais de meia volta ao mundo. Com a troca de citys, eles vão percorrer 6754 km a menos.

Um bom ano

Mesmo como vice-campeão nos jogos Abertos de Santa Catarina, Keko avalia de forma positiva o ano. Das 12 etapas do circuito nacional, Keko e Nelsinho começaram no torneio principal em cinco. ?Crescemos mais, a avaliação foi bem melhor?, fala Keko, que ao lado de Nelsinho tá perto de ser campeão estadual.

Mas com o resultado ruim na última etapa do brasileiro, Keko e Nelsinho devem encerrar o ano no 13º lugar, coisa que querem mudar. ?A nossa briga é pra ficar entre os 10?, fala Keko, que gostou do calendário. ?Levamos vantagem no começo com etapas próximas, com custo mais barato. Vamos de carro?, garante.

Baita estreia

Atuais campeãs dos Jasc e do circuito estadual, Josi e Leize mandaram bem no primeiro ano de circuito brasileiro. ?Por ser nosso primeiro ano foi muito positivo. Conseguimos passar o qualifying em todas as etapas, menos em Curitiba?, diz Josi, que calcula entre 15 e 20 mil reales o custo de uma temporada completa.

Agora, cabe a Balneário Camboriú manter a ajuda financeira. ?Vamos manter a dupla, só falta conversar com a FME (fundação de Esportes) e buscar algum patrocínio pra ajudar com as passagens. O mesmo diz Keko. ?Se conseguirmos patrocínio, garantimos passagem pra todas as etapas?.

Superintendente da FME de Balneário Camboriú, Sandro Bernardoni espera um projeto das duplas catarinenses pra 2010, mas admite a manutenção do apoio. ?Nossa intenção não é dizer não. O resultado deles foi significativo?.

  •  

Deixe uma Resposta