• Postado por Tiago

Cinco agências do Besc da região fazem parte da lista das 68 unidades da instituição que terão suas portas fechadas este ano. A decisão dos chefões do Banco do Brasil (BB) está sendo chamada de integração, sob alegação de que a clientela e os funcionários das agências desativadas passarão a fazer parte da agência do Banco do Brasil nas cidades onde ocorrerão os fechamentos. As direções do sindicato dos bancários da região de Itajaí e da federação estadual da categoria berram contra a medida e dizem que o povão será o principal prejudicado.

Balneário Piçarras, Barra Velha, Ilhota, Araquari e Nova Trento serão as cidades próximas a Itajaí em que a agência do Besc deixará de existir. A data exata para o fechamento das agências não foi divulgada, mas todas serão desativadas até o final deste ano.

José Carlos Reis da Silva, superintendente do Banco do Brasil em Santa Catarina, disse ao DIARINHO que a medida tem como objetivo melhorar o atendimento à clientela. Na lógica da direção do BB, as agências do Banco do Brasil passarão a contar com mais funcionários para atender ao povão.

O chefão do BB na Santa & Bela garante que as agências têm estrutura para absorver tanto os novos funcionários quanto a demanda dos clientes que migrarão do hoje chamado BB Besc. Ele diz ainda que nenhum bancário levará o pé na bunda com o fechamento das agências, mas admite a possibilidade de transferência de trabalhadores para outras regiões do estado.

Prometem bombar

No bom e velho estilo bate e assopra, junto com o anúncio oficial do fechamento das agências do Besc em cidades pequenas, a direção do BB anunciou uma série de outras medidas e investimentos que prometem bombar o atendimento à clientela.

Uma delas é o investimento de R$ 70 milhões em reformas e mudança de endereço de agências. A maior parte da grana, R$ 64 milhões, vai pras agências do Besc. Outros R$ 12 milhões serão desembolsados pra comprar 81 novas máquinas para os terminais de autoatendimento e substituir 299 outras engenhocas que já estão capengas.

Com nariz torcido

Os trabalhadores do setor estão vendo a medida com nariz torcido. Sérgio Pio, presidente do sindicato dos bancários de Itajaí e região, critica o fechamento das unidades do Besc. Para ele, as atuais agências do BB em cidades pequenas não têm estrutura física para absorver os funcionários do Besc e vão enfrentar grande demanda de atendimento. Por isso, acredita Pio, o BB não vai ter como dar suporte adequado aos clientes. “No fim, quem vai pagar o pato é a sociedade”, alfineta.

Pio diz que ficou sabendo da decisão da direção do BB pela imprensa e que somente hoje, ao final da tarde, é que os sindicalistas se reunirão com a superintendência do banco para serem informados oficialmente. “É um costume. Primeiro eles fazem a cagada pra depois chamar os sindicatos”, lasca.

Mário César Visentainer, secretário geral da federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários (Feeb) de Santa Catarina, afirma que não há risco de demissão dos bancários das agências que serão fechadas. “É uma cultura do Banco do Brasil. Ele não tem conduta de demissões”, acredita.

O problema, diz Visentainer, será a forma como as agências do Banco do Brasil absorverão os funcionários do Besc. “Alguns serão usados, mas como vai ficar quem tem cargo comissionado? Vai ter um problema social, sim, com os trabalhadores”, prevê. O sindicalista diz que, extraoficialmente, foi informado de que os comissionados, que são aqueles que têm cargos de confiança no banco, ficarão por apenas quatro meses na função. Visentainer não descarta a possibilidade de pressões psicológicas no interior das agências e acredita que haverá transferências compulsórias.

A direção da Feeb não foi convidada pela superintendência do Banco do Brasil para a reunião de hoje à tarde, que rola em Floripa.

Coisa da incorporação

Em outubro do ano passado, o Besc foi oficialmente comprado e incorporado ao Banco do Brasil. Depois da incorporação, o BB passou a ser o maior em Santa Catarina. Mais da metade de todas as agências bancárias do estado pertencem ao BB. Todas as 293 cidades do estado têm uma agência do Banco do Brasil ou do BB Besc.

  •  

Deixe uma Resposta