• Postado por Tiago

INTERNA_16_abre-direita_Ipraia-brava-e-praia-dos-amores-_foto-felipe-vt

A maior facada foi no lombo dos moradores da Brava

A atualização do valor venal dos imóveis de Itajaí, que desencadeou o polêmico aumento do imposto predial e territorial urbano (IPTU) pra muita gente, continua provocando berreiro geral. E não é por menos. Além do reajuste não ter sido comunicado, pra alguns contribuintes ele chegou a passar dos 1000%. É o caso do bancário Luiz Fernando Pereira, 42 anos. Ano passado ele desembolsou apenas R$ 76 de imposto. Este ano terá que pagar R$ 1.265,07.

Luiz mora na praia Brava, região da cidade onde os reajustes foram maiores. Ontem, chegou a ir até o escritório da secretaria da Fazenda do governo do estado e pedir que investigassem se os valores da planta genérica do município, atualizados no finalzinho do ano passado e mantidos em segredo até segunda-feira, tão mesmo dentro da lei e não ferem os direitos constitucionais dos contribuintes.

O bancário admite que o IPTU da Brava era mesmo uma mixaria. Mas, para ele, a prefa deveria ter aumentado gradativamente o imposto, pra não ferrar com o orçamento das famílias que moram no bairro.

E.F., 38 anos, também ligou pro DIARINHO pra berrar contra o reajuste. Ele tem um terreno nos Cordeiros e, com a atualização dos valores, vai pagar 400% a mais do que no ano passado. De R$ 219,58 pulou pra R$ 1.138,17. Se contar os outros três imóveis que tem, o leitor vai ter que desembolsar mais de R$ 2 mil.

E. pensa até em não pagar o imposto, tamanha é sua revolta. Pra ele, o Ministério Público deveria pegar no pé da prefa.

Há 13 anos sem reajuste

Desde 1997 que a prefa não atualizava a planta genérica da cidade. Por conta disso, tinha terreno na praia Brava que hoje custa R$ 250 mil e tava pagando imposto como se valesse R$ 6 mil. Os abobrões da prefa alegam que o aumento é questão de justiça tributária, pois os valores dos imóveis tavam muito defasados e não seguiam o preço de mercado pro cálculo do IPTU. Mauro Renato Marcelino, diretor de cadastro e fiscalização do IPTU, disse ao DIARINHO que, mesmo com o baita reajuste, os técnicos ainda calcularam o IPTU sobre metade dos que os imóveis realmente valem.

  •  

Deixe uma Resposta