• Postado por Tiago

Era por volta das 15h de ontem quando Cleide Martins de Carvalho, 51 anos, apareceu na depê pedindo pra fazer uma nova carteira de  identidade. Ela até fez cara de santa, mas a farsa não colou. Bastou os homis digitarem seu nome no computador pra aparecer uma ficha criminal mais comprida que jiboia.

Cleide tinha um mandado de prisão temporária e outro de prisão preventiva nas costas, pedinchados pela dona justa da Maravilha do Atlântico. A muié, que não é flor que se cheire, já tinha cumprido alguns anos de jaula no Paraná, por ter assassinado o marido a sangue frio, na cidade de Maringá, onde viviam os pombinhos.

Os tiras lascaram o teje preso e a tansa pegou uma carona pro xilindró.

  •  

Deixe uma Resposta