• Postado por Tiago

A malocada não respeita mais nem quem prega a palavra de Deus. Um frei foi assaltado por dois vagabundos armados em Balneário Camboriú. Na noite de segunda-feira, os putos inventaram que um doente precisava da ajuda do pregador da palavra do Senhor e renderam o coitado na paróquia Santa Inês, na rua 1400, no centro da Maravilha do Atlântico Sul. Os trastes roubaram a grana dos fiéis.

O padre Ladi Antoniazzi, 64 anos, contou pros homisdalei que tava entocado no seu lar-doce-lar, tranquilão, quando foi chamado pelas 20h30 por dois marmanjos. Do lado de fora do portão, os caras falaram que um paciente do hospital Santa Inês tava à beira da morte e queria bater um papo com o pregador.

O religioso pediu pra eles esperarem cinco minutos, entrou em casa, trocou de roupa e embarcou no seu carro. Assim que abriu o portão e saiu com o carango, teve a surpresa. Os dois homens se transformaram em bandidos e anunciaram o assalto. Um dos vadios tava com um trabuco na mão e apontou pro padre. Mandou que o coitado abrisse o bolso e soltasse o dindim. “Eles falaram: nós só queremos dinheiro e não queremos machucar ninguém”, relembra o frei.

Sem querer encontrar São Pedro antes da hora, o padre tratou de sacar a doação dos fiéis que estavam dentro do veículo e entregou R$ 2500 pros salafrários. “Sei que foram as contribuições, mas a vida vale mais que qualquer bem material”, disse.

Logo em seguida, os bandidos picaram a mula correndo e não foram mais encontrados. Pro pregador da palavra do Senhor sobrou apenas voltar pra casa e procurar os puliças pra registrar a ocorrência. “O material não é nada se comparado ao estrago emocional que causa na pessoa. É um susto, deixa a pessoa sem reação e ao mesmo tempo você fica incomodado, mas não pode agir”, conta nervoso.

O frei tomou a experiência como uma lição de vida. Conta que a agora a administração da paróquia tá pensando até em incrementar a segurança da área destinada à morada dos religiosos.

  •  

Deixe uma Resposta