• Postado por Tiago

A bandidagem voltou a tocar o terror em Balneário Camboriú. Na madrugada de ontem uma casa foi invadida por um assaltante no bairro São Judas Tadeu. O traste só não carregou muita coisa porque a vítima se assustou e armou um berreiro. Pouco tempo depois, um motora foi assaltado na avenida do Estado, por um ciclista armado.

O primeiro assalto rolou pouco antes da meia-noite, na rua Maria Mansoto, no São Judas. A dona da baia, C.C., 24 anos, tava se preparando pra tirar um ronco quando foi surpreendida por um bandido. O traste apareceu numa das janelas da casa, apontou um berro pra moçoila e anunciou o assalto.

Ele deu a volta na baia e entrou pela porta dos fundos, que tava destrancada. A guria aproveitou que o assaltante deu bobeira e saiu de dentro da casa aos berros. O coisa-ruim percebeu que ia acabar em cana e fugiu. Só deu tempo de ele carregar o celular, o relógio e a bolsa da moça.

A vizinhança avisou a polícia, que saiu à cata do traste. Mas os meganhas não encontraram nenhum suspeito andando pelas redondezas.

Pouco tempo depois foi a vez de J.R., 40, levar prejú por conta da bandidagem. Ele tava rodando pela avenida do Estado, por volta da 1h30, quando reduziu a velocidade perto de um semáforo. Um mequetrefe, empoleirado numa ziquinha, passou ao seu lado e apontou um trabuco pro motora.

O assaltante pediu o celular da vítima. Assustado, J. entregou o aparelho e só torceu pra que o malaco fosse embora. O bandido siscapoliu, e ele chamou os milicos. Pelo jeito o malacabado era muito bom nas pedaladas, porque os puliças não conseguiram encontrá-lo.

  •  

Deixe uma Resposta