• Postado por Tiago

INTERA POLÍCIA PÁGINA CINCO - ABRE p - assassinato taboleiro (18)

Família tava tentando se esconder da violência em Camboriú

Uma família peixeira que tava morando em Camboriú há menos de um mês, pra fugir da bandidagem, foi destruída num duplo assassinato que rolou na noite de terça-feira. Dois malacos armados invadiram a pensão 63 da rua Eucalipto, no bairro Taboleiro, em Camboriú, e mandaram bala pra todos os lados. Os tirombaços mataram mãe e o filho adolescente da família Teixeira. O marido e pai da vítima tá no hospital com a vida por um fio. A polícia acredita que o crime seja queima de arquivo, já que no dia 12 de abril, em Itajaí, foi assassinado o filho mais velho do casal, Marcos Teixeira Rocha, 20 anos.

Os vagabundos armados entraram na pensão e pegaram de surpresa Pedro Teixeira Rocha, 15 anos, a mãe Ângela Cristina Teixeira, 56, e o pai, Pedro Rocha, 51, que viam tevê no quartinho. Antes que as vítimas reagissem, os vadios puxaram os trabucos e mandaram azeitonadas à queima-roupa. Em seguida, simandaram montados numa motoca.

O dono da pensão, seu Ilário José dos Santos, 63, ouviu os disparos e chamou os meganhas. Ele saiu do quarto e deu de cara com o dimenor ferido com azeitonadas no peito, cabeça e braço. O guri pediu ajuda, mas logo caiu morto no chão. Ângela, que estava deitada na parte de baixo do beliche, foi assassinada com um tiro na cabeça.

O corpo do estudante e da dona de casa foram levados pra perícia do Instituto Médico Legal (IML) de Balneário Camboriú. Como nenhum parente apareceu pra reclamar, os corpos permanecem nas gavetas do IML.

Pedro levou pipocos no pescoço e no peito, mas resistiu. Foi socorrido pelo Samu e levado em estado grave pro hospital Santa Inês, em Balneário Camboriú. Na manhã de ontem, o homem passou por uma cirurgia e permanece internado com uma bala alojada no pescoço.

Viram demais

A polícia civil acredita que a treta tenha relação com a morte do filho mais velho da família, Marcos Teixeira Rocha, 20. O sujeito foi assassinado há um mês e 15 dias, dentro da casa 1005 da rua Gercino José Correia, no bairro Cordeiros, no Itajaí. Dois malencarados invadiram a baiuca e meteram os tiros certeiros contra o rapazote que almoçava com a parentada.

O delegado Fábio Moreira Osório acredita que o crime tenha rolado por queima de arquivo. ?Parece que esses familiares foram testemunhas do assassinato (de Marcos) e eles (bandidos) foram pra casa e tentaram matar todo mundo?, acredita. Por terem presenciado o crime, a família deixou a casa no Itajaí e simudou este mês pra Camboriú.

O dotô tá torcendo pra que Pedro melhore logo pra dar um plá com ele, tentar identificar os atiradores e descobrir se há alguma relação com o crime anterior.

  •  

Deixe uma Resposta