• Postado por Tiago

Traste tava escondido na city há duas semanas, trampando como servente de pedreiro

INTERNA-POLÍCIA-PÁGINA-CINCO-ABREp---everton-nei-carvalho---latrcínio-rs-(1)

Maradoninha tava na casa do irmão, na rua Paraguai, em Balneário

Acabaram os dias de liberdade pra um traste que meteu bala num vovozinho durante um assalto no mês passado, no Rio Grande do Sul. O mequetrefe tava siscondendo em Balneário Camboriú há duas semanas, trampando como servente de pedreiro no bairro das Nações, pra tentar escapar da jaula. Ele foi guentado em uma operação conjunta entre a puliça civil gaúcha e homis da central de investigações da Maravilha do Atlântico.

A desgraceira rolou no dia 17 de agosto, na cidade de Cruz Alta (RS). Everton Nei Carvalho, 19 anos, conhecido como Maradoninha, tinha combinado com outros dois mulambentos, Luciano Gomes Rodrigues, o Lulu, 25, e Cristiano de Oliveira, o Nego, 21, de assaltar o dono de uma loja agropecuária da city, um véinho de 69 anos. Eles descobriram que o coitado morava pertinho da loja e costumava levar todos os dias a grana do caixa pra casa numa maleta.

O combinado era que Maradoninha meteria o mãos ao alto, enquanto os comparsas ficariam dentro de um Chevette vermelho, em outra quadra, esperando. Por volta das 18h30, o coisa-ruim desceu do carro e ficou de tocaia até que o vovozinho, Wilson Valentim Quirato, pintou em frente ao portão.

Maradoninha apontou um trabuco pra ele e anunciou o assalto. O idoso teria jogado a maleta, que naquele dia tava recheada com R$ 3 mil, pra dentro da baia. Nisso, o bandido teria se apavorado e disparado a arma sem querer. O balaço atingiu o coração do véinho, que não resistiu e acabou morrendo antes mesmo do socorro chegar.

Apavorado, Maradoninha seguiu correndo até onde tava o Chevette com os dois comparsas. No caminho disparou mais um tirombaço contra o chão. Quando chegou ao carango, contou a Lulu e Nego que tinha atirado no vovô.

Siscapoliram

Com medo de irem parar detrás das grades, Lulu e Nego siscafederam. Eles foram encontrados pela puliça de Capão Alto oito dias depois do assassinato, mocosados num acampamento de trabalhadores sem-terra, na cidade de São Gabriel. Os dois confessaram aos tiras que participaram da treta, e disseram que o assassino era Maradoninha. Desde então, os homisdalei tavam tentando encontrá-lo.

Na semana passada, a puliça descobriu que o traste tava no Balneário. A gauchada pedinchou uma mãozinha ao pessoal da central de investigações, que pintou na área pra ajudar no serviço. Até o avião de rosca dos tiras foi usado na busca ao assaltante.

Maradoninha foi encontrado no sábado de manhã na baia de seu irmão, na rua Paraguai, bairro das Nações. Há 15 dias, ele tinha chegado na city de mala e cuia, e passou o migué dizendo que queria arrumar um serviço. O bandido tava trampando na obra duma igreja, na rua Itália.Maradoninha jurou que atirou no idoso sem querer. Ele disse que o crime foi arquitetado pelo companheiro Lulu, que já responde por uma renca de broncas. Assim que prestou depoimento, o traste foi colocado na baratinha e levado pro xilindró, no Rio Grande do Sul.

  •  

Deixe uma Resposta