• Postado por Tiago

INTERNA-POLÍCIA---PÁGINA-SETE---ABRE--

Homisdalei garantem que tão monitorando os bandidos que balearam a depê

Um mês depois do atentado a delegacia da mulé e do menor de Balneário Camboriú, a polícia civil continua em busca do traste que fez a lambança. A prisão de Ubirajara Tavares, o Bira, já tá pedida, mas o sujeito siscapuliu pra outras bandas. Os homisdalei garantem que têm monitorado até os outros três caras que ajudaram Bira a crivar a depê de tirombaços e a balear um policial na madrugada de 18 de maio.

As investigações da bronca tão na mão da equipe da central de investigações. Bira já tá com a prisão decretada e é considerado foragido da dona justa. Os tiras tão na cola do cara, mas o sujeito tratou de picar a mula assim que foi identificado.

Os policiais tão levantando também onde simeteram os três comparsas. ?Os malandros também acompanham as ações da polícia. Eles estão espalhados, mas nós estamos monitorando?, garantiu o delegado regional, Ademir Serafim.

Quem tiver alguma informação que possa levar aos caras pode dar um alô pro 181. O denunciante pode passar o serviço sem se identificar. O policial civil baleado, Paulo César Fernando de Abreu, foi operado, se recuperou e hoje trampa em outra delegacia. O cara pediu transferência e tá prestando serviço na depê de São José, pertinho da sua casa. ?Ele foi substituído por outro policial que tinha interesse de trabalhar na delegacia da mulher. Acho que não era nem prudente ele voltar a prestar serviço aqui?, disse o delegado regional.

Relembre

Quatro trastes armados invadiram a delegacia e descarregaram 20 tiros pra tudo quanto é lado e fugiram. O policial Paulo, que estava de plantão, levou um balaço que atravessou a sua barriga. Ele teve que rastejar pelo chão pra não ser morto no local. Foi socorrido e operado. Já a delegacia ficou detonada. As azeitonadas quebraram cinco vidraças, atingiram a porta da frente, do comissariado e paredes internas.

Pros policiais, a treta rolou por vingança, já que Paulo prendeu Bira há alguns anos e o traste ainda não tinha engolido amargar a jaula. Eles sicruzaram minutos antes do atentado no posto de gasosa Andyara, na marginal Oeste, onde já teriam trocado algumas farpas.

Na noite do crime, só dois policiais faziam plantão na depê. Depois disso, até foi levantada a possibilidade de se reforçar o número de policiais ou construir um muro alto, instalar câmeras de monitoramento ou implantar algum sistema de segurança por lá, mas os entendidos da polícia civil trataram de cortar as asinhas do pessoal e decidiram deixar a depê do jeito que tava. Os chefões dos homisdalei alegam que a delegacia não precisa de segurança e o atentado foi um caso isolado.

Este foi o segundo ataque contra a delegacia. Há três anos, Guilherme Bortolini, 15, foi assassinado dentro da jaula onde tava preso, acusado de matar o filho de um policial federal. Três malencarados armados invadiram a delegacia e fizeram o trampo sujo nas barbas dos homi da lei.

  •  

Deixe uma Resposta