• Postado por Tiago

INTERNA-POLÍCIA-SETE---ABRE-p---local-onde--gerente-de-banco-foi-rendido-(4)

Ladrões esperaram gerente do banco no meio da estrada

Bandidos armados assaltaram ontem de manhã uma agência do BB/Besc no centro de Canelinha. Os trastes forjaram obras na SC-411 pra render o tesoureiro do banco e obrigá-lo a liberar o acesso à grana. O vigilante da agência, uma faxineira e outro bancário também ficaram sob a mira de um revólver. Os assaltantes fugiram levando R$ 80 mil. O caso tá sendo investigado pela depê da city.

A polícia acredita que os bandidos já estivessem de olho na rotina do tesoureiro, que não teve seu nome divulgado, há algum tempo. O cara mora em Nova Trento, e usava a SC-411 pra ir e voltar do trampo, todos os dias. Ontem, por volta das 8h, os assaltantes colocaram cones na pista e armaram uma emboscada pro coitado.

Dois deles se fingiram de peões e mandavam os motoras baixarem a velocidade dizendo que a área tava em obras. A cada caranga que passava, davam uma boa bizolhada pra conferir se o bancário não tava a bordo.

Quando o cara finalmente pintou, num Gol vermelho, os bandidos o mandaram parar o carro dizendo que o trânsito logo seria liberado. Então um dos sem-vergonhas chegou junto da janela do motora, apontou um berro e avisou que se tratava de um assalto.

Os dois assaltantes entraram no carro do tesoureiro e o mandaram seguir até o banco. No caminho, avisaram que conheciam a família do coitado e disseram que se ele não colaborasse, poderia sobrar pra mais alguém.

Um outro mequetrefe esperava pertinho da agência, que fica na avenida Cantório Florentino da Silva. Eles se comunicavam através de um walkie-talkie (rádio). O assaltante que tava com o revólver mandou o tesoureiro arrumar um crachá pra que ele pudesse entrar, se fingindo de funcionário, e fez o cara desligar o alarme e o detector de metais.

O bancário verdadeiro disse ao vigia, que esperava a porta abrir, no lado de fora do banco, que o assaltante ia trampar na agência. Mas bastou o vigilante entrar pra ser rendido pelo bandido, que ficou com sua arma e o trancafiou, junto com o tesoureiro, na sala do cofre. Um outro bancário e uma faxineira, que chegaram em seguida, também foram levados pra dentro da sala onde fica mocosada a grana.

Quando viu que a barra tava limpa, o terceiro bandido, que tava perto da agência, entrou se fingindo de cliente. O outro traste ficou dando cobertura do lado de fora.

Os assaltantes obrigaram o tesoureiro a abrir o cofre e carregaram R$ 80 mil. Antes de sair, eles mandaram o pessoal ficar quietinho porque iriam detonar um caixa eletrônico, mas ou usaram essa desculpa pra ganhar tempo, ou desistiram da ideia. Eles também carregaram o computador onde ficam gravadas as imagens de dentro do banco, pra dificultar o trampo da polícia, e fugiram no carro do tesoureiro.

Assim que teve certeza de que os mequetrefes tinham siscapulido, o vigilante, que tava com o celular, telefonou pra polícia. Os tiras precisaram arrombar a porta da sala onde tavam os reféns pra que eles fossem liberados.

Ontem à tarde, a polícia civil de Canelinha ouviu depoimentos dos coitados que ficaram na mira dos bandidos. Os tiras não quiseram revelar se já têm suspeitos. Rolou um boato de que os assaltantes fazem parte de uma quadrilha da Maravilha do Atlântico, mas a informação não foi confirmada pelos homisdalei.

  •  

Deixe uma Resposta