• Postado por Tiago

Tem banheiro que está só no reboco

Muitos banhistas da praia Central de Balneário Camboriú estão no maior aperto. Há duas semanas os banheiros dos quiosques do finzinho da orla foram demolidos pra construção de novos mijódromos chicosos. Até agora os novos banheiros não foram feitos e o povão está sem local pra sialiviar. A pendenga acontece com os 10 quiosques que ficam entre a rua 2000 e a Barra Sul.

Por lá, tem banheiro que já foi ampliado, mas está só no reboco, sem porta, privada ou piso. Outros foram destruídos, mas continuam no mesmo tamanho de antes, como se os peões sequer tivessem passado por lá. Dentro do quiosque 23, por exemplo, tem uma caixa com piso, pia, todo o material pra ser usado na obra, mas pedreiro que é bom, nada.

Terezinha Santana, 55 anos, teve que segurar o xixi enquanto pegava sol na praia de manhã. Ela montou a sua cadeira de praia em frente ao quiosque 25 pra pegar um bronze, mas ficou chateada com o fato do banheiro estar em reforma. ?Não entro na água e acho muito nojento esse negócio do pessoal usar o mar pra urinar?, disse.

Já o mineiro Alberto José dos Santos, 32, ficou puto com a reforma dos banheiros, tudo ao mesmo tempo. Acredita que a obra poderá trazer benefícios, mas que deveria ser feito um posto de cada vez. ?Antes deixassem como estava?, lascou indignado.

Pelas contas dos donos de quiosques, a situação se repete há duas semanas. Os peões contratados pra fazer a reforma apareceram lá num dia, quebraram tudo, deixaram alguns pisos empilhados na calçada e as paredes só no reboco e foram embora. Em alguns quiosques, nem a porta existe mais. ?Eles (pedreiros) ficam pouco tempo aqui. Chegam às 11h e vão embora Às 15h?, fofocou a funcionária do quiosque 27, Inarye Maria Vieira.

Outro vendedor, Yagan Felipe Vieira, 21, diz que não aguenta mais ouvir os reclamos do povão que chega doidinho pra tirar a água do joelho. ?Indico pra eles irem à sorveteria ali da frente?, disse, apontando pro comércio.

E os comerciantes da orla sentiram o aumento no movimento nas últimas duas semanas, mas de gente querendo sialiviar. Embora sinta no bolso o gasto com os banhistas que nem são seus clientes, o dono do restaurante Telhadinho, Janio dos Santos, 48, promete não fechar as portas pro povão apertado. ?Isso não se faz. É antiético não deixar eles usarem o banheiro?, diz.

Responsável pela obra, o presidente da associação dos quiosqueiros, Dulcy Tonietto, o Gringo, explica que a empreiteira Camila Bittencourt Ltda. tem trampado em etapas pra evitar o problema. ?São três equipes: uma que quebra e levanta tijolos, outra faz os azulejos e a última que faz os assentos?, explica.

O cara acredita que possa ter rolado um atraso no meio do caminho e o problema se agravado com o fim de semana, quando os peões não trabalham, mas garante que vai dar um prensa no pessoal pra resolver isso até o fim dessa semana. ?Eles [a empresa] prometeram apressar tudo e encerrar até domingo as obras dos quiosques 13 ao 30?, prometeu.

O prefeito Edson Periquito (PMDB) afirma que serão construídos mojódromos em todos os 43 quiosques. Doze das casinhas já foram entregues e outras oito deverão estar prontas até sexta-feira. O prefeito-ave ainda garante que mais 22 banheiros estão bem encaminhados e deverão ser liberados pro povão até o fim do mês. ?A gente poderia não fazer os banheiros e deixar a temporada passar, mas estamos fazendo para oferecer o melhor a todos?, garantiu.

Os banheiros serão grandões, com espaço e adaptação pra cadeirantes. Terão torneira com sensor, que desliga sozinha, espelho e porta de madeira maciça. A obra está orçada em R$ 250 mil. A previsão é que tudo esteja pronto até fevereiro.

A obra

A construção de novos banheiros na orla da praia é uma proposta da prefa, que fechou uma parceria com os donos dos quiosques. Eles querem destruir as casinhas que ficavam acopladas aos estabelecimentos e só tinham uma privada e construir um banheiro que possa ser utilizado por deficientes físicos e que disponibilize até chuveiro de água doce, pra galera tomar aquela ducha quando estiver indo simbora.

  •  

Deixe uma Resposta