• Postado por Tiago

Ontem à tarde, maquinários recolhiam os restolhos das árvores detonadas

Leitor diz que não gostou do corte de árvores na praia do Quilombo, na Penha, feito pela própria tchurma da secretaria de Obras da prefeitura. Ele afirma que as árvores tavam ali há tempão e proporcionavam sombra pro povão que curte a bela praia.

Ontem, peões armados de motosserras e maquinário pesado não perdoaram. Botaram abaixo os três sombreiros que estavam cravados no meio do calçadão da praia do Quilombo. Esta não foi a primeira vez que a tchurma da secretaria de Obras detona árvores das praias da cidade.

A defesa dos abobrões da prefa é a de que o final da praia estava precisando de uma repaginada e os sombreiros deixavam o local muito escuro, propício pros malacos fazerem de lá um mocó pra uso de drogas. As árvores cortadas não eram nativas e, por isso, não precisam de licença ambiental para serem cortadas.

Simeão Matias Júnior, engenheiro da prefa, informa que as árvores serão substituídas por palmeiras, assim como já existe em outra praça na city. A ideia é deixar a Penha com cara de Miami Beach. O local será transformado numa praça e os surfistas até ganharão refletores no mar pra praticar o esporte à noite.

Vilmar de Oliveira, diretor da secretaria de Obras, diz que a nova praça estará concluída até o começo da temporada de verão. Por enquanto, a prefa sõ está detonando as árvores.

Vem mais corte pelaí

A síndrome da motosserra do pessoal da secretaria de Obras da Penha ainda não terminou. Vilmar de Oliveira revelou ontem ao DIARINHO que a prefa já conseguiu licença do Ibama para o corte das cerca de 10 cerejeiras que sobraram na praia Alegre. O corte só deverá ser feito quando começarem as obras do calçadão, que deve rolar até o final deste ano, ou seja, vem mais destruição da brava por aí. Baita sacanagem…

  •  

Deixe uma Resposta