• Postado por Tiago

O delegado Procópio Batista da Silveira Neto, de Rio Negrinho, ouviu ontem a barnabé que assinou o repasse de mercadorias ao serralheiro Ismael Ratzkob, 37 anos, que revendia roupas e calçados doados a R$ 1. A muié, cujo nome não foi revelado, disse que cumpria ordens superiores. O dotô agora vai partir pros bagrões. “Vou chamar desde quem dava as ordens até quem carregava o caminhão pra prestar esclarecimentos”, lascou.

A muié disse que teve mercadorias repassadas a outros municípios, e que Ismael teria entrado no rolo porque passou uma lorota. “Ele teria dito que era um pastor pra conseguir os donativos”, disse o delegado.

Dotô Procópio vai voltar ao Vale do Itajaí pra seguir com as bizolhadas. “Vamos verificar outras prefeituras onde o repasse de doações também teria acontecido”, contou. Ele não quis dizer quais as prefas que tão na lista.

Ontem, mais duas pessoas foram presas em União da Vitória (PR) por estarem participando do esquema. O tio de Ismael, Hugo Ratzkob, 61, e Mario Wowcsuk, 43, tinham recebido roupas pra revender no dia 18 de maio. “Quem levou foi o próprio Ismael. Ele dizia que eram mercadorias de São Paulo”, contou o delegado Jonas Amaral.

Em entrevista coletiva, o prefeito de Ilhota, Ademar Felisky, disse não acreditar no envolvimento de funcionários da prefa na sujeirada.

  •  

Deixe uma Resposta