• Postado por Tiago

Depois de duas semanas em estado de greve, os servidores públicos de São José, na Grande Floripa, resolveram cruzar os braços de vez. Ontem, três mil trabalhadores pararam de trabalhar na educação, saúde, obras e guarda da city.

A guarda municipal fez ronda com só 30% do efetivo e os postos de saúde tão atendendo só casos de emergência. As aulas ficaram suspensas em creches e escolas municipais. Os trabalhadores reivindicam reajuste salarial, vale refeição e um plano de cargos e salários. O prefeito Djalma Berger (PSB) resolveu negociar ontem de manhã. Ele ofereceu reajuste de 1,5%.

As professoras se sentiram ofendidas com a proposta. Acharam muito pouco, perto dos 12% de reajuste que tavam pleiteando. Elas afirmam que isso não chega nem nos 5,7% que foi o índice da inflação nos últimos 12 meses.

  •  

Deixe uma Resposta