• Postado por Tiago

CAPA-BASE-2-g---INSS-(7)

Agência de Itajaí tá fazendo apenas perícias agendadas

A barnabezada do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) de Itajaí e Balneário Camboriú deve voltar ao trabalho ainda esta semana, juntamente com as demais agências do estado. A informação foi repassada pela assessoria do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência do Serviço Público Federal no Estado de Santa Catarina (Sindprevs/SC), após uma assembleia realizada na noite de segunda-feira, em Florianópolis.

A diretora do sindicato, Fátima Regina da Silva, disse que foi aprovada a necessidade de recuar a paralisação para reestruturar e fortalecer o movimento nacional, que iniciou em 16 de junho.

A decisão dos catarinenses foi levada para o comando nacional de greve, que se reuniu na noite de ontem, em Brasília, com delegados dos 15 estados que aderiram à paralisação. Até o fechamento desta edição não se tinha uma posição oficial sobre o retorno imediato ou não ao trabalho, mas a dirigente afirmou que os grevistas catarinenses respeitariam a decisão nacional. ?A decisão final sobre o fim das paralisações somente após a assembleia geral. Caso seja preciso, realizaremos outra plenária estadual em Florianópolis ainda esta semana?, disse a diretora.

Tanto na cidade peixeira quanto na Maravilha do Atlântico, as agências do INSS estavam praticamente paradas, com os serviços totalmente interrompidos e apenas as perícias que tinham sido marcadas vinham acontecendo. Em Itajaí, o movimento começou junto com o restante do país e cerca de 70% dos funcionários estavam com os bracinhos cruzados. O pessoal de Balneário Camboriú só se decidiu pela paralisação no dia 7 de julho, deixando apenas a chefia, os médicos e uma funcionária trampando.

A beicinho nacional dos funcionários do INSS começou há mais de um mês, porque o governo federal não levou a sério a promessa de discutir as condições de trabalho, a carga horária e também a regulamentação da carreira da rapaziada. Eles reivindicam que seja mantida a jornada de 30 horas de trabalho semanais. Outra reclamação é que estão aguardando a confirmação do concurso público pra contratação de pelo menos 20 mil pessoas em todo o país.

  •  

Deixe uma Resposta