• Postado por Tiago

INTERNA-9-ABRE-obras-cadeiao-presidio-canhanduba-(3)

Obra do presídio tá devagar, quase parando

O secretário de segurança da Santa&Bela, Ronaldo Benedet, pode respirar mais aliviado. A galera metida com a segurança de Balneário Camboriú desistiu de abrir processo contra o abobrão na audiência pública de segunda-feira, medida que ameaçavam tomar desde semana passada. A decisão foi tomada depois que engenheiros da secretaria explicaram que a obra da penitenciária tá divagar por falta de liberação de recursos da Caixa Econômica Federal.

A audiência reuniu cerca de 100 pessoas, entre integrantes das entidades de classe preocupadas com a insegurança do município e o povão. O secretário não deu as caras, mas mandou os engenheiros técnicos que explicaram o porquê dos entraves da obra da penitenciária e da delegacia do bairro Monte Alegre, em Camboriú. ?Era previsível (que o secretário não aparecesse). Da outra vez que veio tomou um pau gigante?, relembra o diretor de projetos da federação, Giovane Miguel Pasa, referindo-se à audiência de 4 de maio.

Depois de muito bate-boca, integrantes da federação dos conselhos comunitários de segurança (Feconseg) decidiram que não valia abrir um processo contra o secretário. Desde semana passada os caras ameaçavam lascar um processo no lombo de Benedet por não cumprir o que prometeu na audiência do mês de maio, quando jurou que iria iniciar as obras da penitenciária e lançar licitação pra construção da delegacia.

O diretor da federação explica que os entendidos no projeto da cadeia apresentaram o andamento das obras. Mais de 50 módulos estão instalados e a construção continua, mesmo que seja apasso de tartaruga. A obra tá orçada em R$ 18 milhões. Foi assinada em abril de 2008 e deveria estar nos finalmentes, mas chegou a ser parada até por corte de energia elétrica. O novo prazo de conclusão é pra maio de 2010.

Pela desculpa dada pelos engenheiros, a demora na obra foi motivada pela burocracia da Caixa Econômica, em Brasília, que tá segurando parte do recurso da parceria entre o departamento penitenciário nacional do ministério da justiça e o governo do estado.

Já a delegacia do Monte Alegre tá parada por questão jurídica. A empresa que perdeu a licitação entrou com recurso pra que sejam apresentados os detalhes do trâmite. Depois disso, foi solicitada a verificação junto ao tribunal de contas. Enquanto o processo rola, o projeto não sai do papel.

Pra evitar que ambas as construções fiquem ao Deus dará, o pessoal metido com a segurança da região tratou de mexer os pauzinhos. O diretor de planejamento da secretaria de segurança, José Carlos Müller Filho, vai a Brasília ainda esta semana pra pedinchar rapidez no procedimento da Caixa. ?A Caixa é extremamente burocrática e tem prejudicado o ritmo normal da obra?, justifica, tentando tirar o seu da reta.

Pra depê do Monte Alegre, o delegado regional Ademir Serafim afirma que tá de olho no processo do tribunal de contas e não vai deixar que a delegacia vire um sonho. ?O processo tá seguindo e vamos conseguir construir essa delegacia logo?, afirma.

Pra garantir que todas as obras saiam do papel, foi formada, durante a audiência, uma comissão mista. Integrantes do legislativo, executivo e dos conselhos de segurança (Consegs) de Balneário e Camboriú sijuntaram pra acompanhar as construções de perto e cobrar as promessas.A comissão fará uma avaliação quinzenal das obras.

  •  

Deixe uma Resposta