• Postado por Tiago

Basta dar uma volta pelo casarão pra ver como a biblioteca está detonada. O casarão é da década de 20 e as paredes estão descascadas e há infiltração. Não recebe uma garibada desde a inauguração. Ficou ainda mais detonado com a enchente de 2008. A chuvarada deixou goteiras e infiltrações.

A diretora, Edite Edeltraud Post Alves, não sabe ao certo quantas obras tiveram que ser transformadas em papel reciclado. “Livro, depois de molhado, infelizmente não se restaura”, disse.

O prédio é no estilo germânico. Fazia parte do patrimônio da família Renaux, de Brusque, antes de ser doado ao município. Como o casarão é histórico, não pode ser reformado de uma hora pra outra. Por isso as goteiras foram remendadas, mas as infiltrações continuam. Edite já solicita à prefeitura pra que arquitetos visitem o casarão o quanto antes pra avaliar como será feito o restauro da biblioteca.

Doações fajutas

Quase 40% do acervo da biblioteca foi conquistado graças ao povão. Mas desde a enchente, a biblioteca tem recebido doações de materiais diversos. Guarda-chuva, apostilas de escolas já preenchidas e até baralho. “Vejo isso como uma ofensa”, desabafa a bibliotecária. Teve sujeito que teve a cara de pau de doar livros comidos por traça e com fungo. “Esses livros viram papel reciclado”, afirma dona Edite.

As doações devem ser feitas de obras que não estejam escritas ou rasgadas, independentemente do assunto tratado. Dona Edite afirma que a biblioteca é corrente e a cada 20 anos os livros devem ser substituídos por outros de edição mais nova.

  •  

Deixe uma Resposta