• Postado por Tiago

bira-4

Bira pintava de galã, mas tá enrolado até o pescoço com a bandidagem

Os dias de liberdade acabaram pro Ubirajara Prudklig Tavares, o Bira. O cara, que é acusado de promover um atentado contra a delegacia da mulher de Balneário Camboriú em 18 de maio, caiu ontem na operação Rush. Policiais da diretoria estadual de investigações criminais (DEIC) de Floripa baixaram em Balneário e levaram em cana o traste e mais cinco do seu bando. Todos estariam no rolo do comércio ilegal de armas e na treta contra a depê.

Os tiras bateram cedinho nos bairro dos Municípios, Nações, Canhanduba e Ariribá pra buscar a bandidagem que tava pedida pela justa. Eles meteram o pé na porta e pegaram os caras tirando aquele ronco. Com os trastes foram encontrados 200 cartuchos de munição calibre 38, 22 e de pistola 635. Foram guentados também dois berros calibre 32 e uma pistola 635. Tinha também um distintivo da polícia civil que tava com o Bira ? o marmanjo que mora no bairro Vila Real, mas tava siscondendo, desde o dia do atentado, lá na Canhanduba. Ele foi encontrado numa casa sem número da rua presidente Nereu Ramos. Com ele foram achados R$ 1 mil, que a polícia acredita ser grana da venda de armas e munições. ?Pelas investigações, nós temos confirmação que ele faz o comércio de armas?, conta o delegado da DEIC, Rodrigo Pires Green.

Por serem suspeitos de integrarem a quadrilha do Bira, caíram também os parentes Diego Raphael Pereira e seu tio, Thiago André Prazeres, que estavam na casa 732, da rua Blumenau, no bairro dos Municípios. Foram em cana no bairro das Nações, Fábio Moreira Hartvig, o Fabinho, que tava na baia 511 da rua Portugal, e Nahin Rosa Santos, que mora na baiuca 543, da rua Marrocos. O último a dar adeus à liberdade foi o Andrei Gustavo Barbosa, preso na casa 96 da rua Cardeal, no bairro Ariribá.

Pelas informações repassadas pelo delegado Rodrigo, foram três meses de investigação e não há mais dúvida sobre a participação de Bira no atentado à delegacia da mulher. Os homisdalei trampam agora pra identificar os outros safados que fizeram a merdança junto com ele.

Além da acusação do atentado, a trupe tá com a prisão preventiva decretada por comércio irregular de arma e formação de quadrilha. O dotô tem 10 dias pra terminar o inquérito e encaminhar pra justa decidir se mantém o bando no xilindró. Todos os presos já têm ficha suja na puliça. As broncas são de receptação de produto roubado, ameaça e porte ilegal de arma.

Desmanche

A operação Rush, que botou Bira e o bando atrás das grades, também rendeu mais uma bronca para Eduardo Luis Baldwin da Conceição, o Bili, que tá preso no cadeião de Balneário Camboriú.

O cara é apontado como mais um integrante da quadrilha do Bira e tava metido com desmanche junto com o Thiago. Bili foi preso em 21 de julho por furto, receptação e tráfico de drogas. Ele é conhecido dos meganhas da região por que tá metido com desmanche de carangas.

Relembre

O atentado à delegacia da mulher e do menor de Balneário rolou na madruga de 18 de maio. Na noite, apenas dois tiras faziam plantão. Bira e outros três vadios invadiram a depê e mandaram bala pra tudo quanto é lado. O policial civil Paulo César Fernando de Abreu levou um balaço nas costas e teve que rastejar pra não ser morto.

Ele foi socorrido e hoje trampa em outra delegacia. Após o atentado, toda a estrutura da delegacia ficou detonada. Pra polícia, Ubirajara armou o crime por vingança já que o tira que tava de plantão tinha enfiado o bandido em cana. Dois meses depois, a polícia prendeu Ademir Antunes, 25 anos, por participação na bronca contra a depê.

  •  

Deixe uma Resposta