• Postado por Tiago

O capoeirista Cristian da Costa Dutra, 31 anos, tá cocudo com o modo como teria sido tratado pelo prefeito de Navega, Roberto Carlos de Souza (PSDB). Um barraco rolou entre os dois durante o ‘prefeito nos bairros’, no salão paroquial da igreja do São Domingos, no final da manhã de terça-feira. O professor conta que foi falar com o prefeito, mas Bob Carlos se alterou e começou a gritar. O prefeito nega as acusações e diz que se trata de picuinha política.

Cristian dá aulas de educação física na escola municipal do bairro São Paulo. Também trabalha com crianças carentes, dando aulas de capoeira. No início do ano, Cristian foi falar com o prefeito. O capoeirista queria ser contratado pela prefeitura para atender a criançada através de um projeto. Na época, conta que o prefeito disse que não tinha grana e que, por isso, não podia contratá-lo. Só que há um mês a prefeitura contratou uma moça para dar aulas de capoeira na escola.

Na terça-feira, Cristian queria bater um plá sobre o assunto de recursos para o projeto e também discutir sobre o salário dos professores, que considera baixo. O leitor conta que o prefeito armou mó barraco, dizendo que não tinha prometido nada. Aí Cristian, sem entender, não engoliu o desaforo e soltou: “É bonito pro senhor pagar essa merreca, um servente de pedreiro ganha mais que um professor”. Os dois bateram boca por mais alguns instantes até que o prefeito peitudo teria dito para o capoeirista o esperar lá fora. Cristian disse que tava indo embora, quando o prefeito teria dado de dedo na sua cara até fora do salão. “Me senti muito humilhado”, diz o capoeirista. Cristian acha que Bob Carlos tava estressado e descontou em cima dele.

“Não vou dar ibope pra ele, que forçou a situação”, afirma o prefeito. Bob Carlos nega que tenha se descontrolado e diz que não dá apoio ao capoeirista porque ele não mostrou à administração municipal nenhum projeto ou plano de trabalho para as aulas de capoeira.

O programa chamado ‘prefeito nos bairros’ rola quando o prefeito vai até a comunidade e arma um circo pra ouvir o reclamo do povão.

  •  

Deixe uma Resposta