• Postado por Tiago

“Foi na avenida beira-mar, durante o desfile carnavalesco no ano ano passado, que o prefeito Roberto Carlos (PSDB) anunciou a intenção de realizar o “navegay de inverno/2009”, em Navegantes.

Cumprindo, agora, o anúncio proferido entusiasticamente, o educador e atual alcaide RCS, incluiu tal advento (inédito) na programação agostina – comemorativa aos 47 anos de emancipação político-administrativa dengo-dengosa – em plena estação fria e já com a volta às aulas, e sob riscos gripais sazonais e da poderosa Influenza A (H1N1): uma doença respiratória e que cuja transmissão ocorre de pessoa a pessoa, principalmente por meio de tosse, espirro ou de contato eventual com secreções respiratórias de pessoas infectadas ora, sob expressas recomendações advertentes do Ministério da Saúde.

Muito embora o emergente município navegantino esteja por merecer atividades “turísticas”, (veranistas), culturais, recreativas, desportivas, sacras e lazerosas afins – e até mesmo o já

anunciado tradicional, extrovertido e plural/arcoíris “navegay de inverno”, em dose dupla. Também seria prudente a administração focar sobre esta delicada questão do alardeado surto de resfriado e da gripe grassante. Já que disseminado por todo o país, inclusive com registros de vítimas ocasionais e/ou fatais aqui e acolá.

Pululando também pela nossa costeira região catarinense. O que deixando as autoridades, pais e responsáveis, educadores e alunos perplexos e assustados, tais as informações visivelmente contidas à população em geral, apreensiva.

Um dos fatores mais marcantes nas recomendações oficiais, é no sentido de “separar o joio do trigo”. No caso específico e gripal pautado: evitando-se aglomerações de pessoas afetadas, ou não, por esta “pandemia”. Preocupante, mesmo!

Daí, sob intensa programação política, social e festiva, a administração da aniversariante (em 26 de agosto) Navegantes, inclui (e mantém) dentre os 47 eventos inaugurais, recreativos, lazerosos e populares afins, também os macroespetáculos proporcionados em show nacional, desta feita, pela renomada dupla Gian e Giovani; o Encontro Nacional dos Motoqueiros; e o inovador “Navegay de Inverno”, em que fervilharão, no final de sábado e durante o domingo, fechando este “engalanado”, inaugural, festivo e comemorativo mês de agosto navegantino – versão 2009.

E se, por sua vez, o governo estadual resolveu manter o calendário letivo pós-recessso havido – em contraposição a outros estados que adiaram, preventivamente, por três semanas a volta às aulas – também o governo municipal navegantino (dengo-dengosamente), não só manteve esta deliberação-mor no ensino municipal, como “avançou” mais, promovendo tais festividades ocasionais. Mesmo sendo nossa cidade um “tronco privilegiado de conexão” de transuentes locais e passageiros em geral,  e estando por merecer um “estado especial de atenção”, em frente desta “pandemia” gripal de proporções imprevisíveis. E que poderá ser a tônica mascarada do “navegay de inverno”, independentemente de uso de máscaras cirúrgicas fixas e/ou descartáveis, porventura usadas em sua evolução. Extraordinariamente!   

Isto posto, emergentemente o ideal é que o nosso prefeito (bem intecionadamente), viesse a sustar, adiando para outro momento mais oportuno (e saudável) tais eventos e adventos aglomerativos. Se não dispersando, mas ao menos dissipando tais surtos gripais pré-existentes em nosso emergente e ora festivo município. Sendo este, quem sabe, respeitosamente, o maior presente público de uma Feliz Cidade – que já deixou de ser criança, jovem ou adolescente (e que mesmo não tendo ainda a denominada “boa idade”) devendo ser suficientemente adulta em atenção às políticas públicas ansiadas pela população.

Efetivamente!

Afinal, nem só de pão e circo vive o povo brasileiro – e o professor de História e atual prefeito navegantino, Roberto Carlos de Souza (independentemente de programar 45 ou 47 acontecimentos alusivos aos 47 anos de emancipação político-administrativa de Navegantes), sabe muito bem disto.

Por fim, bastando ter ousadia, sim, mas sobretudo, uma visão de estadista-realista!”

Ass: Clebion Miranda, sócio do tradicional Bloco do Pau Doce, de Navegantes

(Transcrito ipsis litteris)

  •  

Deixe uma Resposta