• Postado por Tiago

Previsão era de revezamento de bombeiros na madruga

O fogaréu que tomou conta da câmara frigorífica da Portonave mobilizou bombeiros de toda a região. Até o final da tarde de ontem, 150 vermelhinhos já tinham entrado em ação pra conter as chamas. Outros 60 tavam pra pintar na área durante a noite, pra revezar o serviço. Apesar do empenho, o mandachuva dos vermelhinhos na região de Itajaí, tenente-coronel Onir Mocelin, diz que ainda não tem previsão de quanto tempo vai demorar pra que o trampo termine.

Além dos bombeiros de Navegantes, o pessoal de Itajaí, Balneário Camboriú, Cambu, Itapema, Blumenau, Brusque, Piçarras, Penha e Florianópolis também foi convocado pra combater o incêndio. Pra noite tava prevista a chegada de mais vermelhinhos da capital manezinha, que ficariam com a missão de trampar durante a madrugada.

Pelos cálculos do chefão da comunicação dos bombeiros catarinas, coronel José Cordeiro Neto, 200 mil litros de água foram usados nas primeiras cinco horas de serviço. Mas o tenente-coronel Mocelin acredita que tenha sido ainda mais. ?É difícil calcular, porque cada caminhão de quatro mil litros se esgota em dois ou três minutos. E ainda tem água sendo puxada direto dos hidrantes?, contou.

Ao todo 30 veículos, entre caminhões, ambulâncias e carangos de resgate foram mandados ontem pra Navega pra ajudar na operação. Uma baita escada foi trazida de Blumenau, pra que os bombeiros alcançassem a parte de cima do barracão, e no final da tarde de ontem uma plataforma de 30 metros veio de Joinville. Enquanto os bombeiros trampavam no chão, um helicóptero trazia água do rio Itajaí e jogava sobre as labaredas.

Nesta primeira etapa, o trampo se concentrou em controlar o fogo na área externa. ?No lado de dentro ainda não tem condições de entrar. O calor é muito intenso, muita fumaça, e ainda tem muito material queimando, como isopor e madeira?, contou o tenente-coronel Mocelin.

O chefe da comunicação dos bombeiros comentou que foi o primeiro incêndio com proporções tão grandes na região e que o combate ao fogo não é nada fácil. ?Primeiro pela extensão da área, depois pela altura do prédio que o fogo atingiu, e ainda por causa do risco de asfixia pela presença de amônia no local?, enumerou o coronel Neto. Pra se protegerem, os vermelhinhos usaram trajes especiais e máscaras com tubos de ar comprimido. Cada roupitcha paramentada custou a bagatela de R$ 10 mil.

Vai demorar

Os vermelhinhos ainda não arriscam um palpite sobre o tempo que vai levar pra acabarem com as chamas de vez. ?Pra extinguir totalmente vai longe?, avisou Mocelin.

Também vai demorar um bocado pra saber o que causou a desgraceira.

O tenente-coronel peixeiro preferiu fazer boquinha de siri e não falar sobre o assunto, e o mandachuva da comunicação dos bombeiros na Santa & Bela disse que ainda é muito cedo pra afirmar qualquer coisa. ?Ouvimos que teria alguém fazendo manutenção na área pouco antes do incêndio, mas ainda não estamos descartando nada, nem curto-circuito, nem vela e nem fósforo?, lascou. O laudo dos peritos deve estar pronto em 30 dias.

  •  

Deixe uma Resposta