• Postado por Tiago

GERAL-10-g---sem-especialista-em-bombinhas---policlinica---brigitte-bardot-(7)

O único especialista aparece três dias por semana na policlínica

A rede de saúde de Bombinhas tá dodói. Faltam médicos especialistas pra atender o povão nos postinhos de saúde. Dos cinco postos, apenas a policlínica de Bombas conta com um especialista, um ortopedista. Mas mesmo assim é difícil pacas conseguir hora com o dotô, já que os atendimentos não são diários. Tem cidadão que viaja até Itajaí pra conseguir fazer tratamento na coluna.

O pedreiro V. P. N., 42 anos, tá há 10 anos com hérnia de disco e sofre com a dor na coluna. Já procurou especialista pertinho da sua casa, no posto de saúde de Zimbros, mas só deu com os burros na água, já que não há dotô especializado por lá. Com isso, procurou a prefa, que tá bancando o seu tratamento no Itajaí.

No entanto, ele e sua mulé têm que tirar a grana do meio de transporte e da gasosa do próprio bolso. ?Se tivesse especialista aqui perto seria mais fácil. A gente economizava e ele poderia até trabalhar aqui perto?, conta a dona de casa E. A. N., 35.

Pelos dados divulgados pela secretaria de saúde da city, o atendimento do único ortopedista da cidade é só na segundas, quartas e sextas-feiras. E ainda assim é difícil conseguir uma vaguinha. Maria Mercedes de Souza, 63, conta que algumas amigas chegam a madrugar pra garantir o atendimento. ?Tem gente que levanta às três da manhã pra ir?, conta.

Quem admite o problema é a secretária de saúde, Maria Alice Pavan. A abobrona explica que o município é pequenino pacas, com apenas 13 mil habitantes, e não tem condições de bancar dotôres de especialidades. ?Nos comprometemos a oferecer as atenções básicas de saúde que são a clínica geral, pediatria e ginecologia?.

Afirma que o número de consultas das especialidades iriam aumentar demais os gastos públicos e quebrar os cofres da prefa. A secretária conta que o ortopedista disponível na policlínica é um dos clínicos gerais que pedinchou pra fazer o trampo especializado. ?Ele queria trabalhar em Bombinhas com isso e, por isso, a gente não tinha como negar?, justifica.

A secretária relembra que a cidade tem apenas quatro médicos à disposição por dia nos postos de saúde. Pra evitar que o povão fique sem atendimento de especialistas, a secretaria firmou acordo com as secretarias de saúde de Itapema, Itajaí e Balneário Camboriú, pra onde são levados os pacientes.

  •  

Deixe uma Resposta